Menu

Notícias

13/07/2017

Diário Matinal Coinvalores - 13 de julho de 2017

 

Bom dia,

1

Setor de Serviços fica praticamente estagnado. O crescimento do setor de serviços em maio foi de 0,1% em comparação com o mês anterior, enquanto a receita nominal avançou 0,3% no mesmo período. Esse desempenho decorre principalmente da alta no segmento de serviços administrativos e no de serviços prestados às famílias, sendo parcialmente compensado pelo recuo em atividades turísticas, informação e comunicação e transportes. Com relação ao mesmo período do ano passado houve queda de 1,9% e nesse ano o índice acumula retração de 4,4%.
a

Yellen e inflação em destaque. Em meio a agenda norte-americana atribulada nesta quinta-feira, os investidores devem ficar atentos à inflação ao produtor em junho, que deve apresentar arrefecimento frente a última leitura. E é justamente essa desaceleração nos índices de preços que levou a chairman do Fed a adotar tom mais cauteloso ontem. Nesse sentido, o discurso de Yellen, após a divulgação do PPI, ganha relevância e deve balizar as expectativas quanto ao timing do próximo aumento dos juros e do início da desmobilização de ativos. Lael Brainard, diretora do banco central norte americano, também discursará hoje, às 14h. Os dados de pedidos de auxílio desemprego da última semana devem apresentar ligeiro recuo, enquanto o resultado fiscal deve reportar novo déficit em junho.

Balança comercial na China supera expectativa. Os dados de junho indicaram expansão forte tanto das exportações, que avançaram 11,3%, quando o esperado era aumento de um dígito, quanto das importações que vieram 17,2% superiores ao mesmo período do ano anterior, cerca de 4 p.p. acima da expectativa de mercado. O superávit comercial no mês foi de US$ 42,77 bilhões, um pouco acima do esperado, também. Quem pode ter uma leitura um pouco diferente desses dados, especialmente em relação ao superávit comercial chinês com os EUA, é o presidente Trump, crítico do que ele chama de desequilíbrio comercial entre os dois países, fator que pode trazer algum ruído no curto prazo e ajuda a explicar os ganhos um pouco tímidos nas Bolsas chinesas, mesmo com os indicadores bem positivos.

CPI alemão vem em linha com as expectativas. O índice de preços ao consumidor (CPI) da Alemanha subiu 0,2% em junho ante maio e registrou alta de 1,6% na comparação anual, ficando dentro das projeções do mercado. E o CPI harmonizado também não trouxe surpresas avançando 0,2% em junho e apresentou alta de 1,5% em doze meses.

Bolsas avançam lá fora. Após Janet Yellen reforçar o gradualismo na subida dos juros nos EUA e da balança comercial chinesa trazer dados positivos (com comentário acima), o pregão é de alta para as Bolsas europeias, assim como foi para as Bolsas asiáticas, que fecharam no azul. Por aqui, a tendência é de pregão também positivo, pois, além das notícias do exterior, a leitura é que a condenação de Lula enfraquece a sua candidatura para 2018, o que é muito bem recebido pelo mercado e há a percepção de que estamos cada vez mais próximos de uma resolução para o imbróglio criado com a delação da JBS.
 

 

a
Itaúsa (ITSA3) fecha compra da Alpargatas (ALPA4). Itaúsa, Brasil Warrant e Cambuhy fecharam acordo com a J&F pela sua participação na Alpargatas. O valor total da transação é R$ 3,5 bilhões, sendo que a Itaúsa irá desembolsar R$ 1,75 bilhão, por 50% da participação da J&F, que corresponde a 27,12% do capital total da Alpargatas, por meio de dívida a ser contratada. Já a Brazil Warrant e a Cambuhy ficarão com outros 27,12% do capital da Alpargatas. O acordo precificou as ONs em R$ 14,25 e as PNs em R$ 11,40. Vale destacar que as ações da Alpargatas ON fecharam no pregão de ontem valendo R$ 13,70, 4% abaixo do preço pago, já as PNs fecharam em R$ 14,20, 19% acima do valor acordado. Esta operação ainda depende de aprovação do CADE. Hoje às 11h00 será realizada a teleconferência pela Itaúsa para comentar a operação. Acreditamos que a aquisição foi feita por um preço bem atrativo, o que é positivo para a Itaúsa.

Cemig (CMIG4) começa tratativas para alienação da Light (LIGT3). A Cemig anunciou o início das reuniões com potenciais investidores no processo de venda do total de sua participação no capital social da Light. No início da semana, o diretor financeiro da estatal mineira, Adézio Lima, declarou que ao menos 12 grupos confirmaram interesse no negócio. Ainda que a troca no controle da Light já fosse conhecida, a celeridade que vem sendo apresentada pode trazer impacto marginalmente positivo tanto para os papéis LIGT3 quanto para CMIG4.

Hermes Pardini (PARD3) deverá fazer duas aquisições neste ano. Em entrevista ao jornal Valor Econômico, o vice-presidente do grupo de medicina diagnóstica, Alessandro Ferreira, afirmou que a companhia deve fechar mais duas compras relevantes em 2017. Uma empresa especializada em medicina de precisão que atua na região sudeste do país e outra de um laboratório tradicional de análises clínicas. Ainda na reportagem publicada hoje pelo veículo, o executivo comentou que o grupo mantém conversas com empresas que operam no nordeste e no sul, em especial nos estados do Paraná e Santa Catarina. Além do processo de consolidação de mercado, o crescimento orgânico continua em curso, sendo que se pretende abrir mais três unidades Hermes Pardini até o final deste ano. Em nossa avaliação, o grupo possui confortável estrutura de capital, reforçada com o IPO recente que trouxe R$ 878 milhões ao seu caixa e que certamente será utilizado para essas aquisições. A notícia poderá levar seus papéis para o campo positivo no pregão de hoje.

Senior Solution (SNSL3) retira nova tranche com o BNDES. A companhia de softwares informou que seu conselho de administração aprovou a retirada de R$ 23,4 milhões do contrato de financiamento com o BNDES. Esse empréstimo possui carência de trinta meses que posteriormente será pago no prazo de amortização de quatro anos ao custo de TJLP acrescida de 2,0% a.a., além da fiança bancária tradicional. A liberação dos recursos se dará conforme comprovação dos investimentos que, em sua maioria, são empregados em pesquisa e desenvolvimento. Esta operação ressalta que o funding da Senior segue bastante favorável em comparação com seus pares em bolsa, contribuindo para a saudável situação financeira da companhia mesmo em meio ao intenso processo de aquisições nos últimos anos. Ações SNSL3 devem seguir no movimento positivo no curto prazo.

Menos um cliente para a Log-In (LOGN3). A companhia anunciou que o estaleiro EISA rescindiu definitivamente o contrato para a construção de três navios que foi celebrado em 2007 e que estava suspenso desde 2015 pelo cliente. Com isso, a Log-In receberá a indenização no valor de R$ 59,6 milhões, sendo que a companhia estuda empregar esses recursos para a compra da embarcação para recompor os ativos que não foram entregues a EISA, o que vemos de forma negativa, pois reverte a estratégia de desmobilização de ativos realizada nos últimos trimestres e que estavam contribuindo, em muito, para seus resultados financeiros, uma vez que suas operações seguem bastante fracas. Papéis podem reagir negativamente hoje.
 

AGENDA DE DIVIDENDOS
 

 

Bons negócios.


« Voltar