Menu

Notícias

07/08/2017

Diário Matinal Coinvalores - 7 de agosto de 2017

 

Bom dia,

1

Mercado já prevê SELIC fechando 2017 abaixo dos 8%. A maior novidade do Boletim Focus divulgado hoje cedo foi a queda para 7,50% a.a. na mediana das projeções para a SELIC deste ano, assim como sua manutenção nesse patamar ao longo de 2018 inteiro. Após a comunicação do Banco Central na semana passada ter reforçado a visão de que a autoridade monetária irá manter o ritmo de corte nos juros na próxima reunião, os agentes de mercado ajustaram suas estimativas para baixo rapidamente, o que também poderá ser observado na curva de juros futuros, influenciando positivamente o mercado de ações doméstico. No mais, ligeiras alterações nas previsões para a inflação neste ano em função dos anúncios recentes em alguns preços administrados, como energia e combustíveis, mas nada que deverá modificar a trajetória de desaceleração dos preços por aqui.

a

Agenda amena nos EUA. No radar norte americano desta segunda-feira, há a divulgação do crédito ao consumidor em junho, cuja expectativa é de arrefecimento frente à última leitura, e das condições do mercado de trabalho em julho. Entretanto, as atenções devem ficar voltadas ao discurso dos representantes do Fed, Neel Kashkari (com direito a voto) e James Bullard, na espera de alguma sinalização sobre a condução da política monetária, sobretudo com relação ao timing do próximo aumento dos juros.

Produção alemã decepciona. A produção industrial na Alemanha em junho recuou 1,1% frente a maio, contrariando as expectativas de expansão moderada e o crescimento registrado na leitura anterior. Esse desempenho decorre principalmente do menor ritmo na indústria em geral e no setor de construção, a despeito do volume de encomendas e do clima econômico continuar em tendência positiva. A princípio esse resultado não altera as projeções de crescimento na maior economia da Zona do Euro, todavia, o mercado deve ficar mais atento e cauteloso quanto às próximas divulgações.

Confiança do Investidor recua na Zona do Euro. O índice de confiança do investidor do bloco europeu registrou 27,7 pontos em agosto, recuando frente aos 28,3 da última leitura e ficando ligeiramente acima das expectativas, que apontavam para 27,6 pontos. Esse resultado se deve, em boa medida, ao arrefecimento econômico alemão, segundo o instituto que divulga o índice, Sentix, e mostra que o melhor momento do bloco ficou para trás.

Agenda sem grandes indicadores deixa bolsas estáveis. As Bolsas europeias abriram estáveis, mesmo que alguns indicadores tenham vindo menores em relação à expectativa de mercado (conforme texto acima). No mesmo sentido as Bolsas americanas também devem ter um pregão mais morno, por conta da agenda mais fraca. Já as Bolsas asiáticas fecharam o pregão em alta, à espera dos dados da balança comercial chinesa que estão com boas expectativas para o mês de julho, que serão divulgados pelo governo na madrugada de hoje para amanhã. E a Bolsa brasileira deve continuar voltada para os resultados corporativos e o desenrolar das negociações políticas para a aprovação das reformas.
 

 

a
BB Seguridade (BBSE3) divulga números mais tímidos e revisa guidance. Os prêmios emitidos mostraram retração em todos os segmentos na comparção com o mesmo trimestre do ano passado e da mesma forma se comportou a receita com capitalização. Por outro lado, as receitas da Brasilprev vieram bem sólidas. O que compensou essa queda nas receitas da BB Seguridade foram os índices de sinistralidade, que vieram melhores em comparação ao 2T16. O lucro líquido da companhia ainda foi bem afetado pelo resultado financeiro, pressionado pela queda de juros entre os períodos analisados. A BB Seguridade revisou para baixo sua projeção de lucro, passando de alta estimada entre 1% e 5% para uma queda de 1% a 5%. O que pode amenizar um pouco o impacto negativo que os números mais fracos teriam nos papéis é o anúncio de dividendos, no valor de R$ 0,78 por ação, com yield de quase 3%. Papéis ficam ex já no dia 11/ago, sexta-feira. Pagamento em 22/ago.

Migração para as novas units do BTG (BPAC11 e BBTG12) será automática. Como as BBTG12 estão cotadas a menos de R$ 1,00, a BTG Participations (BBTG12) terá que fazer grupamento de suas ações. Como o processo de migração prevê a conversão de uma unit BBTG11 para uma unit BBTG12 mais uma unit BPAC11, os conselhos de administração decidiram transformar a migração em mandatória. Até o dia 18 de agosto, as ações continuam a ser negociadas como estão hoje. À partir do dia 21, quem já tinha feito a migração, continua como está, quem ainda não tinha feito, vai receber uma BBTG12 e uma BPAC11. Não vemos grande impacto para os papéis, apenas a transferência da liquidez para os novos papéis.

Dividendos da Tegma (TGMA3). O conselho de administração da companhia aprovou o pagamento de dividendos intercalares no montante de R$ 14,8 milhões (equivalentes à R$ 0,22/ação, aproximadamente) aos acionistas posicionados ao fim do pregão de 09/ago/17. As ações ficam ex-dividendos no dia seguinte (10/ago) e o pagamento será feito em 21/ago/17. O dividend yield considerando a última cotação dos papéis TGMA3 está em 1,6%.

Novamente, Contax (CTAX3) fará assembleia com os debenturistas. Após a postergação da última reunião, divulgação de projeções financeiras e novas negociações dos termos da proposta aos credores, a companhia convocou para amanhã (8/ago) a assembleia com os seus debenturistas para aprovar o plano alternativo apresentado. A decisão favorável dos credores da companhia poderá dar um fôlego para os ativos CTAX3 em bolsa. No entanto, ainda consideramos bastante complicado o momento atual da Contax e, inclusive, o atingimento do guidance para os próximos anos. Desta forma, seguimos cautelosos ao recomendar o posicionamento aos investidores no momento.

Portobello (PTBL3) reporta bom desempenho neste 2T17. Mesmo com a receita líquida consolidada ficando praticamente igual ao mesmo período do ano anterior, a melhora do mix de venda com produtos de maior lucratividade e controle de custos e despesas foram os grande propulsores para o crescimento das margens da companhia neste 2T17. A receita líquida apresentou crescimento de 1%, EBITDA se elevou em 65% e lucro líquido ficou maior em 441% se comparado ao 2T16. Além disso, a Portobello conseguiu reduzir seu endividamento, apresentando uma relação Dívida líquida/EBITDA de 2,6x em 2T17 ante 3,4x em 2T16. Para o restante do ano, a empresa se diz mais otimista com a conjuntura econômica e a melhora do setor de materiais de construção. Consideramos que suas ações irão performar positivamente no pregão de hoje, por conta de seu bom desempenho.

Alpargatas (ALPA4) reporta números fracos. A receita líquida consolidada veio com queda de 15,1%, devido principalmente ao decréscimo das vendas do mercado interno, principalmente pela redução no faturamento do negócio de Sandálias. E o EBITDA ficou 35,6% menor, mesmo com uma economia de 9,1% nas despesas comerciais, gerais e administrativas e de 6,0% no total das despesas operacionais, houve perda de produtividade pela diminuição da receita, reduzindo assim a margem EBITDA. E por consequência o lucro líquido consolidado ficou 11,4% menor se comparado com o 2T16. A companhia irá distribuir juros sobre capital próprio de R$ 0,0772 por ação ON e R$ 0,0850 por PN. As ações ficaram ex-JCP no dia 14/08 e o pagamento está programado para o dia 19/09. Consideramos que os números reportados pela companhia neste 2T17 vieram fracos, desta forma, acreditamos que suas ações irão responder negativamente no pregão de hoje.
 

AGENDA DE DIVIDENDOS
 


AGENDA DE RESULTADOS
 

Bons negócios.


« Voltar