Menu

Notícias

12/09/2017

Diário Matinal Coinvalores - 12 de setembro de 2017

 

Bom dia,

1

Ata do Copom traz pistas sobre possíveis novas reduções. Todos os membros do Copom concordaram com a redução da taxa Selic para 8,25% a.a., dada a evolução da conjuntura e o menor risco na parte política, com o andamento nas aprovações das reformas. O comunicado deu sinais de continuidade dos cortes, mas também uma redução gradual no seu ritmo. Por fim, os membros do Copom destacaram a importância de outras iniciativas (como os recentes anúncios de privatização e concessões) e investimentos em infraestrutura que visam aumento de produtividade, ganhos de eficiência, maior flexibilidade da economia e melhoria do ambiente de negócios.

Vendas no varejo em linha com as expectativas. O volume vendido em jul/17 repetiu o patamar do mês anterior e apresentou alta anual de 3,1%, ambas em cima da mediana de mercado. Quando olhamos para o varejo ampliado, que inclui veículos, autopeças e materiais de construção, houve avanço de 0,2% sobre o mês imediatamente anterior e de expressivos 5,7% contra jul/16. O resultado acumulado no ano apura um tímido crescimento de 0,3%, denotando a moderada recuperação desse setor.
a

CPI do Reino Unido sobe em agosto. O índice de preços ao consumidor do Reino Unido apresentou elevação de 2,9% nos 12 meses até agosto, ante a alta de 2,6% no acumulado até julho. Os grandes catalisadores para este resultado foram os maiores preços dos combustíveis e de vestuário. Com o núcleo ficando em 2,70% no acumulado do ano, bem acima do dado anterior que ficou em 2,40%.
 
Mercado de trabalho em destaque nos EUA. Logo pela manhã foi divulgado o índice de confiança do pequeno empresário, que subiu 0,1 em agosto frente ao mês anterior, para 105,3 pontos. Apesar da melhora bastante tímida, o resultado foi positivo, tanto por ter se mantido em patamar historicamente alto, quanto pela porcentagem de proprietários que planejam aumentar os investimentos em capital entre os próximos três a seis meses, que atingiu 32%, o nível mais alto desde 2006, em virtude, principalmente, da expectativa de crescimento da demanda. Entretanto, as atenções ficarão voltadas para o relatório de criação de empregos, que deve calibrar as apostar em torno da postura do FED na reunião da próxima semana, entre os dias 19 e 20.

Bolsas avançam em dia de agenda morna. Apenas o FTSE londrino cai por conta dos dados de inflação divulgados mais cedo, que pressionam a libra para cima. Nessa semana tem reunião do BoE e, apesar de ainda não apostar em uma alta de juros nessa reunião, o mercado já especula se mais membros do comitê de política monetária britânico serão contra a manutenção da taxa em 0,25%, sinalizando uma elevação nas próximas reuniões, já que a inflação ficou bem acima da meta de 2,0%. As demais Bolsas operam, ou já fecharam, no campo positivo, ainda repercutindo a revisão dos estragos causados pelo furacão Irma. Algumas estimativas passaram de cerca de US$ 200 bilhões para algo próximo de US$ 50 bilhões, para termos uma ideia do tamanho da revisão.
 

 

a
Suzano (SUZB5) inicia produção de tissue em Mucuri. A produtora de papel e celulose anunciou que iniciou a produção e a venda de papéis para fins sanitários na unidade de Mucuri. No 4T17 deve ser iniciada a produção em Imperatriz. O investimento nas duas linhas foi de R$ 540 milhões e elas devem produzir 120 mil toneladas de tissue, sendo metade de produto já acabado. O impacto nos resultados da companhia, porém, deve ser gradual, já que haverá um período de ramp up para as duas linhas. Ainda assim, a notícia que a produção começou dentro do prazo inicial é positiva.

Azul (AZUL4) tem bom avanço no tráfego em agosto. A cia aérea viu o tráfego de passageiros aumentar 15,5% na comparação com o mesmo mês do ano anterior, com o crescimento sendo puxado por passageiros internacionais, na esteira também da maior oferta de voos internacionais da companhia. A taxa de ocupação também mostrou melhora, com a demanda doméstica crescendo acima da oferta. Em voos internacionais, a oferta cresceu um pouco além da demanda, resultando em queda de 2,0 p.p. no load factor. Papéis devem responder positivamente aos dados favoráveis.

Banco ABC (ABCB4) inicia novo programa de recompra de ações. O novo programa terá duração de 18 meses e vai recomprar até o equivalente a 2,3% do capital do banco. O programa deve trazer uma pressão positiva para os papéis do banco.

Antaq aprova venda de porto da Triunfo (TPIS3). Após o CADE aprovar a venda da Portonave, agora a Agência Nacional de Transportes Aquaviários também aprovou a alienação da participação da Triunfo no terminal. Notícia positiva, mas já esperada.

Petrobras (PETR4) anuncia desinvestimento e obtém liminar na justiça. A companhia iniciou a etapa de divulgação de oportunidade referente à alienação de 100% da Araucária Nitrogenados, localizada no Paraná, e da Unidade de Fertilizantes Nitrogenados III, localizada no Mato Grosso do Sul. Esse processo está alinhado com as práticas impostas pelo TCU. Além disso, o juiz da 1° Vara Federal de Três Lagoas - MS determinou que a ação civil pública proposta pelo Ministério Público Federal, que visa a retomada das obras de implantação da Unidade de fertilizante de Três Lagoas e a proibição de sua alienação, permanecerá suspensa até o próximo dia 07/11. As novidades devem trazer pouco impacto sobre os papéis da companhia hoje.

Ferbasa (FESA4) distribuirá JCP. O montante é de R$ 22,7 milhões, o equivalente ao valor líquido de R$ 0,2350 por ação PN e de R$ 0,2136 por ação ON. Os papéis ficarão ex-proventos a partir da próxima segunda-feira (18/09) e o pagamento deve ser realizado ainda esse mês, no dia 28/09. O yield da operação é de aproximadamente 1,6% para FESA4 e de 1,3% para FESA3.

Ser Educacional (SEER3) e gestores private equity disputam Uniasselvi. Segundo matéria de hoje publicada no jornal Valor Econômico, as gestoras de fundos, CVC Partners e GP Investiments, entraram na briga para adquirir a Uniasselvi, instituição de ensino a distância (EAD) que pertence desde 2015 aos fundos Carlyle e Vinci Partners. De acordo com a reportagem, a proposta da Ser gira entre R$ 900 milhões e R$ 1 bilhão, mas a CVC Partners teria feito uma oferta melhor, sendo que os donos da Uniasselvi pedem algo em torno de R$ 1,2 bilhão, também segundo o jornal. A instituição de EAD tem mais de 120 mil alunos distribuídos em cerca de 70 polos ativos e recentemente obteve autorização do MEC para abrir mais 150 polos de EAD por ano. Para efeitos de comparação, a Ser tem 158 mil alunos, sendo que somente 8,7 mil são estudantes de EAD. Ou seja, se as negociações de fato ocorrerem e tiverem um desfecho positivo, sobretudo em relação ao preço da aquisição, será uma incorporação transformacional, uma vez que a Ser praticamente dobraria de tamanho. Estamos acompanhando de perto o noticiário e analisando os desdobramentos dessa possível transação. Contudo, seguimos recomendando o posicionamento nas ações SEER3.

Tivit (TVIT3) lançou o prospecto preliminar do seu IPO. Ontem, a companhia apresentou o documento prévio da sua oferta pública de ações, onde inicialmente serão vendidas cerca de 31,0 milhões de ações detidas pelos atuais acionistas, cujo majoritário é o fundo APX Brazil. A faixa de preço está situada entre R$ 43,00 e R$ 51,00 por ação, tendo valor médio de R$ 47,00/ação. Dessa forma, se os ativos forem avaliados no âmbito do IPO pelo preço médio, a oferta total ficará em torno de R$ 1,5 bilhão. O processo de bookbuilding começou ontem e será encerrado no próximo dia 28. O início de negociações das ações no segmento Novo Mercado da B3 está previsto para o dia 02 de outubro.

Magazine Luiza (MGLU3) fará uma oferta pública de ações. A companhia informou que o seu Conselho de Administração aprovou a realização de oferta pública de distribuição primária e secundária. A distribuição primária será de 17.600.000 novas ações, enquanto a distribuição secundária será de, inicialmente, 6.400.000 ações. Os vendedores da oferta secundária serão Luiz Helena Trajano, Onofre de Paula Trajano, Fabrício Bittar Garcia, Flávia Bittar Garcia Faleiros e Franco Bittar Garcia. Considerando o preço de fechamento das ações em R$ 78,92 em 8 de setembro, usado pela companhia no comunicado, o valor total da oferta seria de R$ 1,89 bilhão.
 

AGENDA DE DIVIDENDOS
 

Bons negócios.


« Voltar