Menu

Notícias

19/09/2017

Diário Matinal Coinvalores - 19 de setembro de 2017

 

Bom dia,

1

Agenda interna vazia no dia de hoje. Com uma agenda sem indicadores relevantes, o mercado reforça a atenção para a área política, com o plenário da Câmara dando continuidade à votação das mudanças no sistema eleitoral, que está em um grande impasse. E também o que está em foco é o julgamento do pedido de suspensão da segunda denúncia da PGR contra o presidente Michel Temer, podendo ocorrer somente amanhã.
a

Confiança dos investidores na Alemanha apresenta elevação. A confiança dos investidores alemães apresentou sua primeira elevação em setembro, depois de quatro meses em queda. O índice de expectativas do Zew ficou em 17 pontos, ante os 10 pontos reportados em agosto e bem acima da projeção de mercado. Este indicador tem como objetivo antecipar, em até seis meses as expectativas quanto ao desenvolvimento econômico. Sendo assim, os números de setembro, mostraram que o crescimento econômico alemão poderá continuar em ritmo sólido e que a combinação de elevação do crédito com o aumento da atividade de investimento do governo tende a continuar melhorando as expectativas. Já na Zona do Euro, a confiança dos investidores, acelerou de 29,3 para 31,7 pontos, no entanto, ficou abaixo das projeções de mercado que esperavam que o sentimento econômico ficasse em 32,4 pontos.
   
Zona do Euro aumenta suas transações correntes. A Zona do Euro apresentou elevação em suas transações correntes no mês de julho, com 25,1 bilhões de euros, ante o resultado anterior de 21,2 bilhões de euros e acima da expectativa de mercado que esperava 22,8 bilhões de euros.

Dados da construção e transações correntes em destaque nos EUA. O grande evento da semana nos EUA é a reunião do FOMC amanhã, mas, enquanto ela não vem, o mercado recebe os dados de novas construções residenciais de agosto e de concessões de alvarás para construções do Departamento do Comércio americano, que devem mostrar certa estabilidade. No mesmo horário sai os dados de transações correntes do 2T17, que devem ter um déficit menor que o observado no 1T17. São indicadores que não devem trazer muita volatilidade ao mercado.
   
Bolsas sem direção. Em dia fraco de indicadores, destaque fica para a alta de 1,96% do Nikkei de Tóquio, na volta de feriado por lá, enquanto na China, os índices fecharam pressionados pela queda do minério no pregão de hoje. Na Europa, a melhora na confiança no consumidor não está sendo suficiente para levar o DAX de Frankfurt para o campo positivo, que opera em leve queda. Por aqui e nos EUA, o dia não deve ser de muita volatilidade, haja vista a agenda fraca e a proximidade da reunião do FOMC, o que deve deixar os investidores em compasso de espera.
 

 

a
Triunfo (TPIS3) divulga boa prévia operacional de agosto. No acumulado do ano, a variação do total de veículos pagantes nas rodovias da companhia continuou negativo, mas no mês de agosto houve evolução de 1,6% nesse número. O resultado foi puxado pelos números da Concepa, que evoluíram 9,4% na comparação com agosto do ano passado e é a única rodovia da Triunfo que acumula evolução no tráfego pedagiado em 2017. Porém, esse é o mesmo ativo que, no último mês, foi alvo de uma operação da polícia federal que apura eventuais fraudes e desvios de recursos públicos na execução da obra de um aditivo contratual, motivo pelo qual retiramos nosso preço-alvo da companhia, por entendermos que não há como precificar esse tipo de risco.

Somos Educação (SEDU3) negocia participação em escolas. A companhia agora controlada pela gestora de private equity Tarpon está negociando com fundos a venda de uma fatia de até 30% do seu braço de negócio formado por colégios, como Anglo e pH, e pela escola de inglês Red Balloon. De acordo com a reportagem de hoje de jornal Valor Econômico, a transação poderá movimentar entre R$ 540 milhões e R$ 720 milhões que deverão ser usados para a expansão da companhia em outros segmentos. Ainda segundo o veículo de imprensa, a companhia deverá anunciar em breve a aquisição de colégios em cidades que o grupo não tem presença e que juntos têm cerca de 14 mil alunos, o que fará a base de estudantes da empresa saltar 48,3% ao chegar a 43 mil matriculados em seus colégios e cursinhos pré-vestibular. Acreditamos que o noticiário poderá levar as ações SEDU3 para o campo positivo. Seguiremos acompanhando de perto a Somos Educação.

JCP da Telefônica Brasil (VIVT3/VIVT4). O conselho de administração da companhia aprovou a distribuição de juros sobre o capital próprio (JCP) no montante bruto de R$ 305,0 milhões, aproximadamente R$ 0,17 por ação ordinária (VIVT3) e R$ 0,19 por ação preferencial (VIVT4) e correspondente a um yield de 0,4% para ambas. Os acionistas posicionados ao fim do pregão do próximo dia 29 terão direito aos proventos, as ações ficam ex-JCP a partir de 02/out/17 e o pagamento será definido pela diretoria da companhia até o final do exercício de 2018.

Proventos da OdontoPrev (ODPV3). A companhia distribuirá juros sobre o capital próprio (JCP) no montante de R$ 11,7 milhões, aproximadamente R$ 0,02 bruto por ação e correspondente a um yield de 0,1%. Os acionistas posicionados ao fim do pregão de quinta-feira (21) terão direito aos proventos, as ações ficam ex-JCP a partir dessa sexta-feira e o pagamento ocorrerá em 04/out/17.

SLC (SLCE3) sobe 4,06% depois de anunciar dividendos recordes. A companhia anunciou o pagamento de R$ 200 milhões em dividendos, sendo distribuído R$ 2,06984 por ação. As ações ficaram ex-dividendos no dia 02 de outubro e o pagamento será no dia 10 do mesmo mês. Consideramos que mesmo com a elevação de ontem, o investidor poderá ganhar tanto com a valorização das ações quanto com o ganho por meio dos proventos que ainda é bastante relevante. O dividendo yield está em torno de 8,6%.
 

AGENDA DE DIVIDENDOS
 

Bons negócios.


« Voltar