Menu

Notícias

03/11/2017

Diário Matinal Coinvalores - 03 de Novembro de 2017

 

Bom dia,

1Agenda fraca no mercado interno. Sem dados relevantes no Brasil, o mercado volta as atenções ao campo político e principalmente ao mercado externo. Internamente, as incertezas quanto as aprovações das reformas começam a piorar os ânimos dos investidores, que também já começam a se preocupar com o cenário para as eleições de 2018.  

a

Indicação de Powell por Trump alivia os mercados. O presidente dos EUA, Donald Trump, escolheu o atual diretor do Fed, Jerome Powell, para substituir Janet Yellen a partir de fev/18, optando pela continuidade na condução dovish na política monetária, dado o perfil similar entre os dois. O indicado é diretor do Fed desde 2012, votando sempre em linha com a presidente, e tem boas relações com o partido republicano, o que deve facilitar sua aprovação pelo Senado. A definição era bastante aguardada pelos investidores globais que estavam apreensivos com a possível entrada de John Taylor, de perfil mais hawkish, que poderia acelerar a alta dos juros norte-americanos e afetar de forma relevante os mercados mundo afora. Após essa definição, teremos uma agenda carregada nesta sexta-feira, com indicadores do mercado de trabalho e sondagens em diversos ramos da atividade por lá que são acompanhados de perto pelo Fed que manteve o intervalo dos juros básicos na reunião de 1º/nov, mas deixou a porta aberta para o aumento em dezembro.

O setor de serviços do Reino Unido apresentou forte aumento. O PMI de serviços britânico apresentou forte crescimento, ficando em 55,6 pontos em outubro ante os 53,6 pontos de setembro. Este resultado veio melhor que as projeções de mercado, que indicavam uma leve queda no período. O maior dinamismo da atividade vem um dia depois da decisão do BoE de elevar a  taxa de juros, trazendo-a de volta ao 0,50%, ante 0,25% definido desde a votação do Brexit, ficando dentro do esperado pelo mercado. Além da alta na taxa de juros, o banco optou por manter o programa de compras de ativos inalterado, em 435 bilhões de libras.

Indicadores em sentidos opostos na China. Após a sondagem da indústria mostrar estabilidade, o PMI de serviços referente ao mês de outubro apurou aceleração em relação à set/17, com o índice saindo de 50,6 pontos para 51,2 registrados agora. No entanto, o PMI composto pesquisado pelo Caixin/Markit desacelerou para 51,0 pontos nessa leitura, frente os 51,4 pontos vistos no mês de setembro. De toda forma, esses resultados juntos com os demais indicadores divulgados recentemente indicam que o crescimento no quarto trimestre deverá ser mais fraco por lá, mas em linha com as expectativas de mercado.

Bolsas têm leves ganhos na Europa. A maior parte dos índices europeus tem leve valorização nesta sexta-feira, na esteira da indicação de Powell para o Fed e da melhora na atividade do Reino Unido, ambos com mais detalhes acima. Na Ásia, o dia foi misto, assim como os indicadores econômicos, puxado pelos resultados corporativos e a liquidez limitada pelo feriado nacional do Japão.
 

  

a
Lojas Americanas (LAME4) reporta bom desempenho. A companhia reportou leve crescimento de 3,7% em sua receita líquida, no entanto, o EBITDA e as margens apresentaram bom aumento. Além disso, a empresa apresentou resultado final melhor do que o esperado pelo mercado. Outro ponto positivo foi à melhora no capital de giro de sua controlada dada a maior participação no marketplace. Desta forma, esperamos que suas ações possam responder positivamente no pregão de hoje.

B2W (BTOW3) apresenta melhora em sua gestão de caixa e elevação no marketplace. A companhia vem melhorando seus números em relação aos do ano passado, no entanto, ainda está aquém de ser positivo. Mesmo assim, acreditamos que suas ações possam responder positivamente no pregão de hoje por conta da recuperação em seu capital de giro e crescimento na categoria de marketplace.

Contax (CTAX3) consegue aprovação de credores. Em meio às negociações para a reestruturação da sua dívida, a companhia conseguiu a aprovação da dispensa dos covenants financeiro para as demonstrações do 3º Trim/17, conforme votação nas assembleias de debenturistas. Essa decisão poderá dar um fôlego para os ativos CTAX3 que passam por forte pressão em bolsa. No entanto, ainda consideramos bastante complicado o momento atual da Contax e seguimos cautelosos ao recomendar o posicionamento aos investidores.

Hidrologia afeta desempenho da Tietê (TIET11). Os números da geradora foram bastante afetados pela situação hídrica mais adversa, que culminou na necessidade de compra de energia no mercado de curto prazo, onde o preço médio saltou dos R$ 115,65 por MWh registrados no 3T16 para R$ 435,27 agora. A geração bruta de energia recuou 5% na comparação anual e o nível médio de armazenamento em seus reservatórios ficou em 38,0%, bastante inferior ao volume de 55,5% de doze meses atrás. Como destaque positivo ficou o resultado da geração eólica na Alto do Sertão II, incorporado neste trimestre, que adicionou R$ 50,9 milhões ao EBITDA do trimestre. A Tietê irá distribuir dividendos e JCP no montante líquido total de R$ 0,09168 por unit, o equivalente a um yield de 0,71%. Papéis ficarão ex-proventos a partir do dia 08/11. Essa divulgação deve exercer influência marginalmente negativa sobre a TIET11.

Eletropaulo (ELPL4) reverte prejuízo e lucra R$ 74,3 milhões.  A distribuidora também foi impactada pelo maior custo com compra de energia para revenda, entretanto questões como o menor dispêndio com provisão para crédito de liquidação duvidosa, multas regulatórias e previdência privada compensou tal efeito. A queda de 5,8% nas vendas ao mercado cativo, frente ao 3T16, também foi mitigada pela elevação das tarifas e maior volume de vendas ao mercado livre. Outro destaque foi a redução de seu endividamento, com a relação dívida líquida/ EBITDA caindo de 2,94x para 2,57x em doze meses. Seus papéis podem responder de forma positiva aos resultados.
 

AGENDA DE DIVIDENDOS
 


 

AGENDA DE RESULTADOS
 

Bons negócios.


« Voltar