Menu

Notícias

24/11/2017

Diário Matinal Coinvalores - 24 de novembro de 2017

 

Bom dia,

1Confiança da Indústria deve manter trajetória de alta. Dados prévios de novembro apontam para uma alta de 2,7 pontos no índice de confiança da indústria, que deve atingir o maior valor desde fevereiro de 2014, aos 98,1 pontos. A sondagem também indica que a melhora deve ser disseminada entre o índice de expectativas (+3,8) e o de situação atual (+1,7), enquanto que o nível de utilização da capacidade  instalada segue bem aquém do desejável, em 73,8%. O resultado final será divulgado na próxima quinta-feira (30/11).

a

O índice de clima de negócios na Alemanha cresceu. O indicador de clima de negócios na Alemanha avançou, saindo dos 116,7 em outubro para os 117,5 nesta leitura, ficando também acima da expectativa do mercado. Este melhor resultado veio com avaliações positivas tanto sobre a situação atual dos negócios quanto com as perspectivas para os próximos meses.

Nos EUA, PMIs são único destaque. A agenda norte americana, assim como a liquidez nos mercados internacionais, segue bastante enxuta, ainda impactada pelo feriado de Thanksgiving, ontem. A divulgação prévia dos PMIs composto, do setor de serviços e industrial, todos referentes a novembro, é o que deve balizar o desempenho do mercado acionário por lá, bem como o noticiário político em torno do andamento da proposta de reforma fiscal. Vale lembrar que o mercado americano opera em horário reduzido, hoje.

Bolsas no campo positivo. Na Ásia, o pregão começou pressionado, especialmente no mercado japonês, que ficou fechado ontem, e respondeu com delay de um dia à queda das ações chinesas. No decorrer do pregão, porém, as Bolsas do oriente se recuperaram com ajuda do bom desempenho das commodities na sessão. Na Europa, dia fraco de indicadores, destaque para o indicador de confiança na economia alemã, que surpreendeu positivamente, como comentamos acima. As principais Bolsas operam no azul, respondendo também aos avanços das negociações políticas na Alemanha. Destoa desse movimento a Bolsa de Londres, com o FTSE no campo negativo, pressionado pelas incertezas jogadas pelo ministro das relações exteriores da Irlanda quanto ao avanço das negociações do Brexit, especialmente em assuntos relacionados a fronteira do país com a Irlanda do Norte.
 

 

a
Posições em Eletropaulo (ELPL4) e Vale (VALE5) serão convertidas. No encerramento do dia de hoje, todas as posições a termo em VALE5 e a termo e opções em ELPL4 serão excluídas e as posições migradas para VALE3 e ELPL3, respectivamente. No caso da Vale os contratos serão ajustados pelo fator de conversão de 0,9342, na Eletropaulo não haverá ajuste, pois a relação de troca é de um pra um. Já no fechamento da próxima quarta-feira (29/11) serão convertidas as posições em BTC e as ações depositadas em garantia.

Mais ofertas no radar da B3 (BVMF3). Diante da melhora na percepção dos investidores sobre mercado de ações brasileiro, já foram movimentados neste ano R$ 14,5 bilhões em ofertas, o que contribuiu bastante para os resultados financeiros da B3. E estão previstas mais ofertas ao longo de dezembro, tendo o maior destaque para a operação da BR Distribuidora, além de ofertas subsequentes de empresas já listadas. Os números do quarto trimestre da B3 tendem a ser beneficiados por essas transações e vale lembrar que a companhia pretende elevar o pay out neste trimestre, indo além dos 50% distribuídos no decorrer do exercício deste ano.

Eletrobras (ELET6) pede mais prazo para privatização das distribuidoras. Segundo nota do Valor Econômico, a elétrica pediu mais prazo para avaliar o modelo de privatização de suas distribuidoras, tendo em vista que o modelo proposto pelo BNDES poderia gerar uma assunção de dívida no montante de R$ 11,2 bilhões. Além disso, o crédito de contas setoriais, onde a estatal contabiliza valores a receber da ordem de R$ 8,4 bilhões, valor questionado pela ANEEL, também deveria ser assumido pela elétrica, elevando a dívida bruta para R$ 19,7 bilhões. Nesse sentido, o conselho da companhia deverá se reunir no final de dezembro (28/12) para deliberar sobre a postergação do prazo para privatização das distribuidoras, previsto anteriormente para ocorrer até esse ano, para até 31/07/18, sendo que em uma outra reunião, prevista para abril, deve ser deliberado sobre o modelo dos negócios. Ainda que o adiamento já fosse esperado pelo mercado, a notícia deve pressionar seus papéis no curtíssimo prazo.

BB (BBAS3) vai pagar JCP. O banco anunciou R$ 0,07020 (valor já líquido) por ação para os acionistas posicionados ao final do pregão do dia 11 de dezembro. Dia 12 papéis ficam ex e o pagamento será no dia 28 de dezembro. O yield da operação, no entanto, é de apenas 0,2%.
 

AGENDA DE DIVIDENDOS
 

Bons negócios.


« Voltar