Menu

Notícias

27/11/2017

Diário Matinal Coinvalores - 27 de novembro de 2017

 

Bom dia,

1INCC acelera em novembro. O índice nacional de custo da construção registrou taxa de variação de 0,28% em novembro, acima do resultado do mês anterior, de 0,19%. Com a maior contribuição partindo do índice relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços que registrou variação de 0,61% ante os 0,44% no mês anterior. Já o índice referente à Mão de Obra não registrou variação no período em análise.

Sondagem da construção apresenta nova alta. O índice de confiança da construção subiu 1,1 ponto em novembro, ficando em 79,1 pontos, sendo a sexta alta consecutiva do índice. O grande propulsor desta alta foi o índice de situação atual, que variou 3,0 pontos, para 69,2 pontos, sendo mais influenciado pelo aumento da carteira atual de contratos, que subiu 4,2 pontos para 67,8 pontos. Já o índice de expectativas recuou 0,8 ponto, ficando em 89,4 pontos. O nível de utilização da capacidade do setor variou -1,6 p.p., alcançando 63,8%. O NUCI de Mão de Obra e o de Máquinas e Equipamentos também apresentaram queda de 1,8 p.p. e 0,5 p.p., respectivamente.

Boletim Focus vem com queda no IPCA e elevação no PIB para 2018. Os dados do Boletim Focus, mostram leve recuo nas projeções para o IPCA para 2017, onde a projeção saiu de 3,09% para 3,06%, e para 2018, saindo de 4,03% para 4,02%. Outra mudança foi o PIB para 2018, que mais uma vez subiu, saindo de 2,51% para 2,58%, já para 2017 ficou inalterado em 0,73%.

a

Semana agitada nos EUA. A agenda macro desta segunda-feira conta com a divulgação do número de venda de moradias novas em outubro e com a sondagem industrial de Dallas, referente a novembro, ambos com perspectiva de deterioração frente a última leitura. Há também o discurso do representante do Fed de Nova York, William Dudley. Porém, os investidores seguem na expectativa para a sabatina de Jerome Powell, amanhã, no Comitê Bancário do Senado.

Ásia no vermelho, Europa perto da estabilidade. Sem grandes novidades lá fora nessa segunda, as Bolsas asiáticas continuaram pressionadas, na expectativa de uma maior intervenção do governo no mercado financeiro. Na Europa, mercados em compasso de espera nessa segunda, especialmente na expectativa de sinalizações do próximo presidente do Fed, na sabatina comentada acima. O Congresso americanos estará no centro das atenções do mercado essa semana porque o presidente Trump discutirá seu plano de corte de impostos também a partir de amanhã com parlamentares.
 

 

a
Renova (RNEW11) aprova proposta da Brookfield. O conselho de administração da geradora deu parecer favorável a proposta da Brookfield para aporte primário, no montante de R$ 1,4 bilhão, ao preço de R$ 6,00 por unit e earn-out de até R$ 1,00 (decorrente de qualquer ajuste futuro no preço de venda do complexo eólico Alto Sertão II). Ademais, também foi aprovado um novo período de exclusividade de 60 dias, prorrogáveis por mais 30 dias, para finalizar a transação, que ainda depende da aprovação de seus controladores. A geradora também comunicou a conclusão da venda do complexo eólico Umburanas, para Engie Brasil (EGIE3), por R$ 16,937 milhões, transação que já foi aprovada pela ANEEL e não interfere nas negociações com a Brookfield. Essa última notícia deve minimizar a pressão negativa sobre seus papéis no pregão de hoje.

Cemig (CMIG4) vende ações da Taesa (TAEE11) por R$ 21,10. O preço registrado no leilão de venda de 34 milhões de units da Taesa foi de R$ 21,10. Com essa venda, a distribuidora passou a ter 21,68% do capital total e 36,97% do capital votante da Taesa, mantendo o controle societário. Os recursos recebidos serão destinados aos compromissos relacionados a opções de venda outorgada a determinados bancos, o que traz certo alento a sua situação financeira de curtíssimo prazo.

JSL (JSLG3) exerce opção de compra da Borgato. A companhia fez uso de sua preferência de compra para adquirir 100% da Borgato Caminhões S.A. no pagamento que envolve R$ 100 milhões em dinheiro, além da entrega de 9% da participação acionária da JSL Pesados, sendo que esses termos estão sujeitos a ajustes. O grupo Borgato foi fundado, em 1987, em Ribeirão Preto-SP e também atua no segmento de locação e comercialização de ativos pesados e voltados para o setor agrícola, bem como possui dezoito concessionárias espalhadas em quatro estados do país. Em 2016, seu faturamento líquido foi de R$ 186 milhões e o EBITDA de R$ 96 milhões, representando uma margem acima de 50% e bem superior à rentabilidade do grupo JSL. No nosso entendimento, a transação poderá destravar significante valor para a JSL, o que deverá ser bem recebido pelo mercado no curto prazo.

Burger King (BKBR3) anuncia intenção de fazer IPO. A rede de fast food anunciou no final do dia de sexta, após também anunciar o seu balde de batata fritas na Black Friday, a intenção de fazer uma oferta pública de ações. Em prospecto enviado ao mercado, a companhia definiu o intervalo entre R$ 14,50 e R$ 18,00 para suas ações na oferta, o que lhe daria um valor de mercado entre R$ 3,2 bilhões e R$ 4 bilhões. O início da reserva está programado para o dia 1º de dezembro e a negociação está prevista para o dia 18/12. A oferta será primária e secundária. Acesse o prospecto clicando aqui.

Itaúsa (ITSA4) e Suzano (SUZB3) anunciam proventos. A Itaúsa paga R$ 0,015 por ação em dividendos para os acionistas posicionados ao final do pregão do dia 30 de novembro. Papéis ficam ex já na sexta-feira. O yield da operação é baixo, 0,14%, mas o valor pode ser reinvestido na companhia através do programa de reinvestimento de dividendos. O pagamento será no dia 2 de janeiro do ano que vem. Já a Suzano vai pagar R$ 0,1555 (valor já líquido) por ação em JCP para os acionistas posicionados ao final da quarta-feira. Papéis ficam ex no dia 30 desse mês já. O yield é maior, de 0,8%, sempre considerando o fechamento da última sexta. Pagamento em 11 de dezembro desse ano.
 

AGENDA DE DIVIDENDOS
 

Bons negócios.


« Voltar