Menu

Notícias

29/11/2017

Diário Matinal Coinvalores - 29 de Novembro de 2017

 

Bom dia,

1IGP-M apresenta alta em novembro. O índice geral de preços variou 0,52% em novembro, ante os 0,20% de outubro. Além de ter ficado acima do mês anterior, esse número surpreendeu as estimativas do mercado que, mesmo esperando por uma alta, projetavam elevação de 0,42%. Na comparação com novembro de 2016, a variação foi de -0,03% e no acumulado de 2017, até novembro, é de -1,40%. O grande propulsor dessa elevação mensal foi o forte aumento dos combustíveis, alimentação e materiais, equipamentos e serviços, que fizeram com que o IPA ficasse em 0,66% ante o mês anterior de 0,16% e o INCC em 0,28% ante os 0,19% de outubro. Já o IPC registrou variação de 0,28%, a mesma do mês anterior.

O indicador de incerteza da economia quebra sequência de queda e sobe em novembro. O IIE-Br subiu 1,8 pontos entre outubro e novembro de 2017, saindo de 111,0 pontos para 112,8 pontos, quebrando a sequência dos cinco meses anteriores. A alta do IIE-Br em novembro foi determinada pelos componentes mídia e mercado. Esta alta mostra que as atenções continuam voltadas às incertezas no campo político, principalmente no que se refere a aprovação da reforma da previdência e pelas rupturas partidárias.

Sondagem do setor de serviços tem leve recuo em novembro. A sondagem do setor de serviços apresentou leve redução de 0,1 ponto no mês de novembro, ficando em 87,7 pontos, contra os 87,8 em outubro. Em novembro das 13 principais atividades pesquisadas, sete delas apresentaram queda, sendo influenciadas negativamente pelo índice da situação atual, que recuou 0,8 ponto, enquanto o índice de expectativas avançou 0,7 ponto. O NUCI do setor de serviços recuou 0,6 p.p. em novembro, para 82,4%, em relação ao registrado em outubro.

a

Agenda segue carregada nos EUA. Após a sabatina de Powell trazer ânimo aos investidores, hoje as atenções ficam voltadas para o discurso de Janet Yellen no Comitê de Assuntos Econômicos do congresso. Outros dois representantes do Fed também discursam hoje, William Dudley, com direito a voto na reunião de dezembro, e John Williams, que não vota esse ano. Em termos de indicadores, o destaque fica com a divulgação do PIB, que deve acelerar no terceiro trimestre. Além disso, o livro bege segue no radar, enquanto que os dados sobre vendas pendentes de moradias devem ficar em segundo plano.

Confiança em alta na Zona do Euro. O índice de sentimento econômico subiu 0,5 ponto em novembro, atingindo o maior patamar desde outubro de 2000, em 114,6 pontos. Esse desempenho reflete a melhora da confiança em praticamente todos os segmentos pesquisados, com exceção do comércio varejista. Em termos de regiões, o destaque ficou com a França, Países Baixos e Espanha. Ainda na parte da manhã, sairão também os dados referentes a inflação na Alemanha, onde as estimativas apontam para mais um resultado positivo.

Bolsas em dia de valorização. A sinalização de que a trajetória de alta nos juros seguirá de forma cautelosa nos EUA trouxe ímpeto para as Bolsas do país ontem, e segue dando ânimo aos investidores, levando a maior parte dos índices asiáticos a ignorar as ameaças norte-coreanas e fechar em alta nesta manhã. Na Europa, o dia também é de ganhos, na esteira dos dados positivos de confiança, que comentamos acima, com exceção do FTSE, que recua devido aos temores relacionados ao Brexit.
 

 
 

a
Resultados do Enade fortalecem as instituições listadas (ANIM3/ESTC3/KROT3/SEER3). Os dados divulgados pelo INEP relativos ao ano de 2016 apuraram melhora na avaliação do Ministério da Educação das companhias privadas de ensino superior. O Enade é um indicador de qualidade que avalia os cursos por intermédio dos desempenhos dos estudantes destas instituições. E na leitura do ano passado, tanto o conceito preliminar de cursos (CPC) quanto o índice geral de cursos (IGC) obtiveram notas melhores nas empresas com capital aberto. Essa avaliação regulatória é bastante importante para as companhias e, portanto, seus papéis podem ficar no campo positivo em bolsa.

Braskem (BRKM5) anuncia dividendos. A companhia irá distribuir R$ 1 bilhão em dividendos, o equivalente a R$ 1,2567 por ação PNA e ON. O yield é de 2,8%, as ações ficam ex-dividendos a partir de segunda-feira (04/12) e o pagamento deve ocorrer no próximo dia 12/12.

Copel (CPLE6) e Governo do Paraná farão oferta secundária de ações da Sanepar (SAPR4). Após o programa para criação de units da Sanepar ser concluído com aprovação de cerca de 62% dos acionistas, o governo do Paraná e a Copel anunciaram a realização de uma oferta pública secundária de caráter restrito para venda de até 16,3 milhões de units, sendo 9,9 milhões do estado e 6,3 milhões da Copel. Esse volume colocado a venda pela Copel pode ser acrescido em até 15%, em um eventual excesso de demanda. O preço mínimo de venda das units foi fixado em R$ 50,00 e a fixação do preço por ação deve ocorrer em 12/12. Os papéis CPLE6 podem responder de forma positiva, enquanto que os da Sanepar podem ficar marginalmente pressionados pela novidade.
 

AGENDA DE DIVIDENDOS
 


AGENDA DE RESULTADOS


Bons negócios.


« Voltar