Menu

Notícias

11/12/2017

Diário Matinal Coinvalores - 11 de dezembro de 2017

 

Bom dia,

1Reforma da Previdência segue no radar. O governo corre contra o tempo para aprovar o texto da reforma no plenário da Câmara na próxima semana, antes do recesso que começa no dia 22 de dezembro. Uma das principais apostas do governo é que a eleição de Geraldo Alckmin para a presidência do PSDB ajude a angariar o voto dos tucanos, já que o governador de SP é abertamente favorável ao andamento da reforma. Outro ponto relevante será acompanhar o posicionamento dos deputados do próprio PMDB de Temer, que fechou questão a favor da reforma, mas isso não parece ter "dobrado" uma série de congressistas do partido. Nesse final de semana, Temer disse que acredita na votação ainda esse ano, mas que "se não for neste ano, será no início do ano que vem". O mercado não parece disposto a assumir esse risco, colocando a aprovação no plenário da Câmara esse ano como crucial, tendo em vista o longo recesso parlamentar e, principalmente, o fato de 2018 ser ano eleitoral.

IGP-M acelera na 1º prévia de dezembro. O índice registrou variação de 0,73% na primeira prévia de dezembro, contra a taxa negativa de 0,02% no mesmo período do mês anterior. Nesta prévia todos os índices que compõem o indicador apresentaram elevação, com o IPA registrando variação de 0,96%, contra os -0,09% no mesmo período do mês de novembro, o IPC trazendo taxa de variação de 0,30%, ante os 0,03% e o INCC registrou variação de 0,30%, ante a taxa de variação de 0,29%, na mesma base de comparação.
    
Boletim Focus traz mais uma queda no IPCA e elevação no PIB. Novamente, o Boletim Focus mostrou retração nas projeções para o IPCA em 2017, saindo de 3,03% para 2,88%, já para 2018 a taxa permaneceu em 4,02%. Outra mudança foi o PIB que ficou maior nas estimativas do mercado, saindo de 0,89% para 0,91% em 2017 e para 2018 ficou em 2,62% ante os 2,60% da última divulgação.

a

Agenda bem fraca nos EUA. Hoje teremos somente o relatório de criação de empregos às 13h00. Com isso, o mercado continua na expectativa da alta de juros, que deve acontecer nesta quarta feira, na reunião do FOMC, que terá logo em seguida a fala de Janet Yellen. Além disso, o pacote tributário de Donald Trump deve continuar agitando o mercado.
   
Ásia no azul e Europa em dia misto. Após os dados surpreendentes da balança comercial chinesa na sexta-feira e com o discurso de Xi Jinping no final de semana que indicou estratégias para fortalecer o mercado local e melhorias na regulação do sistema financeiro, as bolsas asiáticas tiveram um pregão bem positivo. Já os índices acionários na Zona do Euro têm uma segunda-feira sem grandes oscilações, reflexo da ausência de indicadores econômicos na região. No mercado de commodities, depois das recentes altas, o dia é de realização tanto para o minério de ferro quanto para o petróleo. Por fim, a bolsa paulista deverá reagir ao noticiário político que destacamos na seção do mercado interno deste matinal.
 

 

a
JCP da B3 (BVMF3). A companhia distribuirá juros sobre o capital próprio no montante de R$ 533,0 milhões, aproximadamente R$ 0,26 bruto por ação e correspondente a um yield de 1,2%. Os acionistas posicionados ao fim do próximo dia 21 terão direito aos proventos, as ações ficam ex-JCP a partir da sexta-feira que vem (22/dez) e o pagamento será feito em 08/01/2018.

Energisa (ENGI11) aprova OPA da Energisa Mato Grosso (ENMT4). A elétrica vai realizar uma oferta pública para adquirir a totalidade das ações em circulação (33,4%) da Energisa Mato Grosso, sua controlada indireta. O valor da oferta é de R$ 8,60 por ação, o que equivale a um desembolso de R$ 611,5 milhões. Valor que pode ser ajustado caso ocorra distribuição de proventos, ou em decorrência de alteração no capital social da Energisa Mato Grosso. O leilão deve ser realizado em janeiro, no dia 16. A novidade não deve trazer impacto relevante sobre os papéis ENMT4, dado o baixo prêmio oferecido, cerca de 1% frente à última negociação, e a baixíssima liquidez, enquanto que as ações ENGI11 devem responder de forma marginalmente positiva.

CSN (CSNA3) obtém liminar para manter produção em Volta Redonda - RJ. A siderúrgica obteve uma autorização ambiental em caráter provisório, com validade de 180 dias, para manter em plena operação a Usina Presidente Vargas, que é seu principal polo de produção. Ainda que a novidade traga um alento de curto prazo, o imbróglio continua, o que nos leva a reiterar a recomendação de cautela na exposição aos ativos CSNA3.

BRMalls (BRML3) vende participação em shopping de Minas. A companhia vendeu os 2,1% que ainda detinha no Minas Shopping, por R$ 11,2 milhões. O cap rate da operação (fluxo de caixa gerado pelo ativo dividido pelo valor da venda) foi de 9,8%, considerando os últimos doze meses, múltiplo que consideramos favorável para a BRMalls, porém, como o montante da venda é muito pequeno em relação ao tamanho da companhia, deve ter impacto apenas marginal nos seus papéis.
 

AGENDA DE DIVIDENDOS
 

Bons negócios.


« Voltar