Menu

Notícias

19/12/2017

Diário Matinal Coinvalores - 19 de dezembro de 2017

 

Bom dia,

1Agenda morna hoje. Entre os indicadores, destaque para a sondagem industrial que será divulgada pela CNI e pode dar sinais de como anda a recuperação do setor nesse final de ano. Além disso, no campo político, com a reforma da previdência fora do radar de curtíssimo prazo, o Ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, tenta conseguir uma espécie de voto de confiança das agências de rating até a votação da reforma, esperada para fevereiro pelo governo. Além disso, ontem, o ministro do STF, Ricardo Lewandowski, acatou pedido do PSOL e suspendeu a MP que adiava o reajuste do funcionalismo público federal e aumentava a contribuição previdenciária dos servidores que ganham mais de R$ 5,5 mil. Mais um golpe no ajuste fiscal, já que as medidas deveriam trazer uma economia de R$ 4,4 bilhões no próximo ano.

a

Mais um dia de agenda fraca nos EUA. Hoje, serão divulgados somente os dados de novas construções e de concessões de alvarás, ambos referentes a novembro, com expectativa de baixa na comparação com o último levantamento. Com isso, as atenções continuam no Congresso, com o andamento do pacote de reduções de impostos do presidente Trump.

Construção civil desacelera na Zona do Euro. Em outubro, a atividade do setor de construção recuou 0,4% frente ao mês anterior, na série dessazonalizada. Os países que mais contribuíram para essa queda foram Suécia, Reino Unido e Alemanha. Em doze meses, o índice também denotou arrefecimento, ainda que com alta de 2%.

Dados da Alemanha em arrefecimento. O índice que mede o clima de negócios ficou em 117,2 pontos em dezembro, denotando ligeiro arrefecimento frente aos 117,6 pontos da última leitura. Esse resultado reflete principalmente a deterioração das expectativas, na esteira da perda de capital político da premiê alemã após as últimas eleições, o índice registrou queda de 1,5 ponto contra novembro, enquanto que a percepção dos agentes quanto a situação atual manteve trajetória ascendente, saindo de 124,5 para 125,4 pontos na comparação mensal.

Bolsas no azul lá fora. Os principais índices do mercado asiático fecharam com ganhos nesta manhã, diante da falta de indicadores econômicos e com expectativa positiva quanto a aprovação da reforma tributária de Trump nos EUA, após dois senadores republicanos se posicionarem a favor da proposta. Na Europa, a tendência é a mesma, a despeito dos indicadores mais fracos, que comentamos acima, as Bolsas seguem em alta, impulsionadas pelo noticiário político norte-americano.
 

 

a
BRMalls (BRML3) vende shopping em Maceió. A companhia anunciou a venda, por R$ 170 milhões, de sua participação de 54,2% no Maceió Shopping. A venda é pouco representativa em relação ao tamanho da BRMalls, mas consideramos o cap rate de 8,7% positivo para a empresa. Lembrando que o cap rate é calculado dividindo a geração de caixa do ativo pelo valor de venda, ou seja, quanto menor, melhor para o vendedor.

JCP da Locamerica (LCAM3). A companhia distribuirá juros sobre o capital próprio no montante de R$ 5,5 milhões, aproximadamente R$ 0,06 líquido por ação e correspondente a um yield de 0,4%. Os acionistas posicionados ao fim dessa quinta-feira, dia 21, terão direito aos proventos e as ações ficam ex-JCP a partir de sexta-feira e o pagamento será feito em 05/01/18.

Dividendos da Qualicorp (QUAL3). O conselho de administração da companhia aprovou a distribuição de R$ 150,0 milhões em dividendos, aproximadamente R$ 0,52 por ação e correspondente a um yield de 1,8%. Os investidores que estiverem posicionados ao fim do pregão do próximo dia 21 terão direito aos proventos, as ações ficam ex-dividendos a partir de sexta-feira e o pagamento será feito em 16/01/2018.

Bom balanço operacional da B3 (BVMF3). Os números referentes à nov/17 foram apresentados pela companhia e registraram avanços em suas plataformas de negociação de ativos. No segmento Bovespa, o volume financeiro se elevou em 11,4% sobre nov/16 e 1,1% em relação à out/17. Já em derivativos a alta anual foi ainda maior, 15,1% no mercado de balcão e 16,0% na BM&F. Por fim, na unidade de financiamentos da Cetip houve aumento de 11,0% sobre o nov/16 no total de veículos financiados. Consideramos bastante consistente o balanço operacional de novembro que sugere um forte resultado no 4º Trim/17 e, por isso, suas ações devem reagir positivamente no curto prazo em bolsa.

Assembleia da Oi (OIBR4) está agendada para hoje. Depois de quatro adiamentos desde outubro e das saídas de executivos e conselheiros da operadora, o início da reunião para votar o novo plano de recuperação judicial está marcado para as 11h. Estamos acompanhando de perto a situação da Oi, mas acreditamos que a tendência de volatilidade em seus papéis permanecerá, em virtude das inúmeras incertezas que cercam a companhia.
 

AGENDA DE DIVIDENDOS
 

Bons negócios.


« Voltar