Menu

Notícias

20/02/2018

Diário Matinal Coinvalores - 20 de fevereiro de 2018

 

Bom dia,

1Intervenção no Rio é aprovada com folga e governo define pauta legislativa, sem Previdência. Ontem, a Câmara dos Deputados aprovou por 340 votos favoráveis e  72 contrários a intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro e agora o texto segue para o Senado Federal. Com isso a votação da Reforma da Previdência fica suspensa. Tentando amenizar esse fato e reafirmar o compromisso com o ajuste das contas públicas o governo anunciou uma série de medidas prioritárias, como a reforma do PIS/ Cofins e a simplificação tributária, a autonomia do BC, o marco regulatório de licitações e contratos, a privatização da Eletrobras, entre outras, muitas que já tramitam no Congresso.
aExpectativa para economia alemã piora em fevereiro. O índice de expectativas econômicas da Alemanha apresentou redução no mês de fevereiro ficando em 17,8 pontos ante os 20,4 de janeiro, segundo dados do instituto alemão ZEW. No entanto mesmo com essa forte queda, as expectativas de mercado eram piores, previam reduções mais fortes do indicador, chegando em 16,2. Na avaliação da situação atual, o sentimento caiu de 95,2 para 92,3 pontos, vindo abaixo do esperado. E na zona do euro, a expectativa econômica ficou em 19,3 pontos ante os 31,8 no último dado divulgado.

Mercados em stand-by nesta terça-feira. Na Ásia, após o recente rally a bolsa de Tóquio cedeu no pregão de hoje que também foi marcado pela volta das negociações na bolsa de Hong Kong que fechou em baixa. Cabe relembrar que as bolsas chinesas só retomam as atividades na quinta-feira por conta do ano novo lunar. Já na Europa, a sessão é de pouca oscilação diante da ausência de indicadores relevantes na região que fica à espera da abertura dos mercados norte-americanos que voltam hoje de feriado e devem balizar o humor das bolsas mundo afora, inclusive aqui no Brasil.

 

aResultado sem surpresas do Banco Pan (BPAN4). Os números do banco foram afetados pelo menor apetite da Caixa nesse ano, por conta dos problemas de adequação de capital. O Pan funciona como um meio de originação em segmentos que a Caixa não seria competitiva por conta da estrutura de banco público. O Pan origina o crédito e a Caixa compra partes da carteira. Em 2017, o volume de créditos cedidos sem coobrigação, que é exatamente essa venda de parte da carteira, caiu 22% em relação ao ano anterior. Fora esse fator, os números do banco permaneceram saudáveis, com evolução na margem financeira e despesas com PDD abaixo tanto do 4T16 quanto do 3T17. Com números dentro do esperado, não esperamos grande reação do mercado ao resultado divulgado.

Pão de Açúcar (PCAR4) reporta números dentro do esperado. Em linha com o que comentamos no Diário de ontem, a companhia reportou seus números do último trimestre do ano com crescimento de 6,6% na receita líquida, 28,2% no EBITDA ajustado e acabou revertendo o prejuízo para reportar lucro líquido neste 4T17 ante o 4T16. Grande parte dessa melhora reflete a continuidade do crescimento do Assaí, com abertura e conversões de lojas. Para 2018, a companhia está ainda mais otimista, esperando investimento de R$ 1,6 bilhão com foco na abertura de 20 lojas Assaí (incluindo conversões) e continuidade das reformas Pão de Açúcar, além de intensificar as sinergias na América Latina. Também está em seus planos aumentar a disponibilidade de produtos financeiros e dar continuidade nas reduções de custos e despesas. Além dos números, o Grupo Pão de Açúcar anunciou a mudança de seu presidente. Quem irá substituir Ronaldo Iabrudi é Peter Paul Estermann, que presidia a Via Varejo desde outubro de 2015. Acreditamos que as ações da companhia tendem a performar positivamente no pregão de hoje, não só pelo resultado, já que este veio dentro do esperado, mas pela expectativa de números melhores com a sua nova diretoria.

Desempenho operacional da Linx (LINX3) superou as expectativas. Como adiantamos na publicação matinal de ontem, a desenvolvedora de softwares para o varejo apresentaria um bom balanço no 4º Trim/17, o que de fato aconteceu ao reportar crescimento de 19,3% na receita líquida e de 32,6% no EBITDA, ambos em relação ao 4º Trim/16. Esses números vieram além da mediana das previsões de mercado, o que poderá levar os ativos LINX3 ao campo positivo no pregão de hoje. Contudo, a linha final de sua DRE foi impactada pelo menor resultado financeiro fruto da redução na posição de caixa por conta do pagamento das aquisições recentes (Synthesis, ShopBack e Percycle). De todo modo, já comentamos que essas empresas adicionaram valor à companhia, como se observou já nesse trimestre diante da sua forte performance operacional. Adicionalmente ao balanço, a Linx informou que irá submeter à AGO do exercício de 2017 a distribuição complementar de R$ 23,0 milhões em dividendos. Essa AGO está agendada previamente para 16/abr, quando serão comunicadas as datas de direito e de recebimento desses proventos, mas o yield considerando a cotação de fechamento de ontem é baixo (0,7%).

Bom balanço operacional da B3 (BVMF3). Os números referentes à jan/18 foram apresentados pela companhia e registraram avanços em suas plataformas de negociação de ativos. No segmento Bovespa, o volume financeiro se elevou em 48,2% sobre jan/17, com volume médio diário acima dos R$ 10 bilhões. Já em derivativos a alta anual foi ainda maior, de 56,8% no volume médio negociado na BM&F. No mercado de balcão (Cetip), houve crescimento de 30,7% no registro de renda fixa e o volume financeiro em permanência se elevou em 13,5%, ambos em relação ao primeiro mês de 2017. Por fim, na unidade de financiamentos da Cetip houve aumento de 14,3% no total de veículos financiados sobre o jan/17. Consideramos bastante consistente o balanço operacional de janeiro e, por isso, entendemos que suas ações podem reagir positivamente hoje em bolsa.

Eletropaulo (ELPL4) investirá R$ 4,9 bilhões até 2022. A elétrica anunciou seu plano de investimentos entre 2018 e 2022, onde prevê investir R$ 4,942 bilhões. O valor é superior aos R$ 3,970 bilhões previstos para o ciclo 2017 - 2021 e tem como foco a melhoria da eficiência e confiabilidade operacional, itens que integram o Plano de Estratégico de Criação de Valor da Companhia. A novidade não deve trazer grande influência para os papéis da companhia, que devem continuar se movimentando, principalmente, em razão da negociação de passivos, junto a Eletrobras.

Fitch eleva rating da Alupar (ALUP11). A agência de classificação de risco elevou a nota da companhia de AA+ para AAA (o patamar mais elevado na escala de rating nacional) com perspectiva estável. Segundo a Fitch, a mudança reflete o baixo risco de negócio e forte perfil financeiro, sendo que os novos investimentos serão importantes para manutenção de uma forte geração de operacional de caixa. A novidade pode trazer influência marginalmente positiva para os papéis ALUP11. Mantemos a companhia como a top pick do setor de transmissão de energia, recomendando suas ações para investidores que visem o médio/ longo prazo e tenham perfil mais conservador.

Randon (RAPT4) inicia o ano com forte crescimento. O faturamento líquido consolidado da companhia atingiu R$ 275,6 milhões em janeiro, alta de 74,4% frente ao registrado doze meses atrás. A receita bruta foi de R$ 382,2 milhões nesse início de ano, avanço anual de 70%. Vislumbramos que a companhia vai divulgar bons resultados referentes ao 4° trimestre, no próximo dia 14 de março, e deve manter números sólidos em 2018, com gradual ganho de rentabilidade. Suas ações devem responder de forma positiva à novidade.

Iochpe Maxion (MYPK3) deve divulgar bons resultados. Hoje, após o pregão, a companhia deve apresentar números sólidos, com crescimento de cerca de 10% na receita líquida e no EBITDA do 4° trimestre, frente ao mesmo período de 2016. O crescimento de lucro deve ser ainda mais expressivo. Vislumbramos que suas ações já podem começar a reagir de forma positiva à espera da divulgação.

Telefônica Brasil (VIVT4) solta balanço antes da abertura de amanhã. O resultado da operadora deverá vir consistente no derradeiro trimestre de 2017. A mediana das projeções indica para uma leve alta (2,5%) no faturamento da empresa, mas o EBITDA e o lucro líquido deverão crescer na ordem de 7% e 24%, respectivamente, sobre o que foi reportado no 4º Trim/16. Acreditamos que os bons números esperados poderão contribuir para o desempenho das ações VIVT4 em bolsa hoje.
 

AGENDA DE DIVIDENDOS
 


 

AGENDA DE RESULTADOS


Bons negócios


« Voltar