Menu

Notícias

09/03/2018

Diário Matinal Coinvalores - 9 de março de 2018

 

Bom dia,

IPCA e IGP-M aceleram. O índice oficial de inflação registrou alta de 0,32% em fevereiro, 0,03 pontos percentuais acima do resultado de janeiro,com a aceleração dos preços nas classes educação e habitação sendo parcialmente compensada pela deflação em alimentos e bebidas. No acumulado de doze meses a variação é de 2,84%, a menor para o período desde 1999. Já o índice geral de preços avançou 0,60% na primeira prévia de março, frente aos 0,16% registrados no mesmo período do mês anterior, puxada pela alta dos preços em bens finais e matérias-primas brutas, no índice de preços ao produtor, que mais do que compensou o arrefecimento dos preços ao consumidor, onde houve decréscimo na variação de sete das oito classes de despesas. 

a

Kuroda reafirma manutenção do relaxamento monetário. Uma semana após comentar que deve começar a revisar apolítica atual em algum momento do ano que vem e da melhora do PIB japonês, divulgado ontem, aumentar as apostas de uma mudança na tocada da política monetária por lá, o presidente do BoJ reafirmou que manteve inalterada a política de juros e a recompra de ativos. E ainda que não haverá mudanças enquanto a inflação persistir em níveis abaixo da meta estipulada pelo banco. A fala do mandatário do banco central japonês ajuda a acalmar o mercado bursátil nipônico nessa sexta.

Payroll é destaque na agenda dos EUA, mas Trump segue em protagonismo para os mercados. Hoje teremos o relatório de emprego referente ao mês passado, cuja previsão mediana é de criação de 200 mil postos de trabalho e algo muito além disto poderá pressionar o Fed a acelerar a subida dos juros. Por falar em Fed, dois presidentes regionais discursarão hoje e também podemexercer certa influência nos mercados. Entretanto, arepercussão da tarifação àimportação de metais anunciada por Donald Trump tende achamar mais a atenção dos investidores por conta dasexceções que foram feitas, no caso do Canadá e doMéxico, e de outros contornos que a medida protecionista ainda poderá ganhar, aliviando as tensões nos mercados.

Produção industrial menor que o esperado na Alemanha e Reino Unido. Na Alemanha, houve queda mensal de 0,1% na produção industrial de janeiro, na série com ajuste sazonal, sobretudo por conta da queda em bens intermediários. Já no Reino Unido no primeiro mês de 2018 houve alta de 1,3% ante dezembro, puxada pela retomada no setor de extração de óleo e gás. Mesmo que aquém das projeções, em ambos os casos, tais resultados devem ter pouca influência sobre as perspectivas de crescimento econômico do bloco.

Bolsas sem tendência única. Na Europa os índices operam entre a estabilidade e o campo negativo, ainda em reflexo dos temores quanto a guerra comercial e a espera de dados do mercado de trabalho norte-americano. Já as Bolsas asiáticas fecharam com ganhos nesta manhã, não só pelo discurso mais dovish do presidente do BoJ, como comentamos acima, mas também pelas notícias de que Trump e o líder da Coréia do Norte,  Kim Jong-un, aceitaram se encontrar em maio, minimizando a percepção de risco geopolítico.
 

    

aResultado sólido da MRV (MRVE3). Acompanhia fechou 2017 com bons resultados com forte evolução no top line e margens superiores ao do mesmo trimestre do ano anterior, ainda que um pouco abaixo do 3T17. Destaque para a evolução também na velocidade de vendas daMRV que seguiu avançando no trimestre na comparação com os trimestres anteriores, ajudada pela redução nos distratos, mesmo com a alta nas vendas. A companhia ainda anunciou R$ 155 milhões em dividendos extraordinários, mas que terão que passar pela aprovação do conselho de administração na reunião do próximo dia 12. Com isso, ainda não há a definição das datas de direito e de pagamento desses proventos, porém o montante é equivalente a umyield acima dos 2% diante do fechamento de ontem.

Tenda (TEND3) não traz grandes surpresas no resultado. A incorporadora voltada a empreendimentos para o público de baixa renda mostrou boa evolução na receita em comparação com o 4T16, com margens praticamente inalteradas. Na comparação com o 3T17, receitas um pouco menores, mas boa recuperação de margens. Destaque para a queda nos distratos que ajudou a velocidade de vendas a evoluir no trimestre. Além disso, vale salientar a boa geração de caixa do trimestre, que ficou em R$ 75 milhões, fechando o ano em R$ 239 milhões. Não esperamos uma grande reação do mercado aos números sólidos desse trimestre, pois estes não diferiram grandemente das estimativas de mercado.

Números da Gafisa (GFSA3) impactados por ajuste no estoque. Acompanhia realizou uma reavaliação (impairment) de terrenos e de unidades em seu estoque, que impactou os números trimestrais em R$ 147,3 milhões. Ainda sem esse efeito, a companhia reportaria EBITDA negativo de R$ 92,4 milhões nesse trimestre. A operação da Gafisa seguiu muito impactada por distratos, o que segue pressionando a velocidade de vendas. Os números negativos, no entanto, já eram esperados, o que pode ajudar a mitigar o efeito da divulgação nos papéis da companhia.

Taxa de ocupação se mantém elevada na Azul (AZUL4). A Cia aérea divulgou seus dados de tráfego de fevereiro com números saudáveis. Nos voos domésticos, pequeno avanço na oferta com alta maior na demanda, levou a um aumento da taxa de ocupação consolidada da economia. Nos voos internacionais, a oferta avançou mais que a demanda, mas essa apresentou ainda forte crescimento de 74,9%. A taxa de ocupação nos voos internacionais, no entanto, caiu 8,4p.p., ponto de atenção para os próximos meses.

Burguer King (BKBR3) reporta bom desempenho. A companhia reportou bom desempenho neste 4T17, com crescimento de 27,8% em sua receita líquida, 48,2% no EBITDA e acabou revertendo o prejuízo de R$ 32 milhões para lucro líquido de R$21,8 milhões se comparado ao 4T16. A margem EBITDA também apresentou elevação, saindo dos 13,7% do 4T16 para 15,9% neste trimestre em análise. Este bom resultado reflete o aumento da preferência à marca, devido a uma maior velocidade dos serviços e a melhoria em marketing, com destaque para as campanhas promocionais. Além disso, o maior controle de custos edespesas acabou melhorando suas margens. Para 2018, a companhia mantém o foco na abertura de lojas nas principais regiões e cidades do país além de acelerar a abertura de novos quiosques de sobremesas. Neste contexto esperamos que suas ações possam responder positivamente no pregão de hoje.

Lojas Marisa (AMAR3) reporta melhora em seu desempenho. A companhia reportou certa recuperação em seus números, mas continua bem aquém do esperado quando observamos suas vendas. Sua receita líquida ficou praticamente estável com o desempenho do 4T16, apresentando uma leve alta de 0,2%, refletindo, sobretudo a sua operação do varejo, que subiu 0,4%, já que a receita dos produtos financeiros caiu 0,4%.O EBITDA apresentou forte crescimento de 73% se comparado ao 4T16, apesar da lenta recuperação das vendas no varejo, devido a melhora da margem bruta e o rigoroso controle de despesas, que acabaram contribuindo para este resultado. Por fim, a companhia encerrou o período com prejuízo de R$ 326 mil, ante um prejuízo de R$ 6,0 milhões no 4T16. Acreditamos que as suas ações possam responder positivamente no pregão de hoje.

OPA da Prumo (PRML3) sairá hoje? Em meio às inúmeras incertezas, será feito o leilão para a aquisição das ações em circulação da controladora do Porto de Açu no âmbito da OPA unificada, para saída do Novo Mercado da B3 e posterior cancelamento de registro de companhia aberta. Cabe relembrar que o valor por ação está em R$ 11,50 nesta OPA, representando um pequeno prêmio em relação à cotação de fechamento de ontem (R$ 11,20). Esse processo de fechamento de capital da Prumo já se arrasta há um bom tempo, sendo que seus acionistas, em meados do ano passado, se pronunciaram contra esse laudo de avaliação que determinou o preço, argumentando que o valor econômico atual da companhia estaria entre R$ 12 e R$ 14 por ação e, mais recentemente, há notícias de que acionistas minoritários entendem que o valor justo seria de R$ 15,00. Todavia, o grupo americano EIG, que promove a OPA, comunicou ontem que não tem a intenção de aumentar o valor a ser pago no leilão de hoje. Vale salientar que para o cancelamento do registro de companhia aberta há a necessidade de adesão de, ao menos, dois terço do free-float. Ou seja, caso não se concretize essa parcela de adesão àOPA, ainda teremos a Prumo listada em bolsa e o questionamento entre os minoritários e o grupo controlador no que se refere ao preço justo da companhia.

Alupar (ALUP11) tem números mais fracos. A companhia apresentou números mais fracos no 4° trimestre do último ano frente ao 4T16, tanto por questões já esperadas, como a alta base de comparação, dado reversões de provisões e despesas registradas em 2016, pela alienação da Transchile, e a redução de 50% na Receita Anual Permitida de três empreendimentos, quanto pela alta nos custos com compra de energia para revenda, no segmento de geração. Com essa combinação de fatores, a margem EBITDA da companhia caiu 20,8 pontos percentuais em doze meses, para 78,1%. Ademais, a transmissora anunciou a distribuição de dividendos complementares, no montante de R$ 0,33 por unit, o equivalente a um yield de quase 2%. Papéis passam a ser negoaciados como ex-dividendos em abril, no dia 27. As ações ALUP11 devem reagir de forma ligeiramente negativa aos resultados.

 

AGENDA DE DIVIDENDOS
 

  
 

AGENDA DE RESULTADOS


Bons negócios


« Voltar