Menu

Notícias

19/04/2018

Diário Matinal Coinvalores - 19 de abril de 2018

 

Bom dia,

Agenda fraca abre espaço para noticiário político por aqui. Com apenas a pesquisa sobre a confiança do empresário na agenda doméstica, as notícias envolvendo as eleições entram no radar dos investidores, com destaque para as movimentações envolvendo o ex-ministro do STF Joaquim Barbosa, cuja possível candidatura ainda é objeto de muita especulação, como uma possível aliança com a também pré-candidata Marina Silva. Hoje, a notícia é que o PSB e Barbosa estariam preparando uma sinalização ao mercado, com propostas de viés mais liberal, o que pode agradar os investidores. Além disso, a justiça transformou em réus, o atual secretário dos transportes de SP, o seu antecessor e todos os presidentes do Metrô, desde 2008. Isso acaba dando mais munição para os adversários de Geraldo Alckmin na eleição.

a

Fed segue no radar nesta quinta-feira. O mercado deve ficar atento aos discursos de representantes do Fed hoje, sobretudo após o Livro Bege, divulgado ontem, sinalizar que embora os preços sigam controlados a expectativa é de alta na inflação mais adiante, devido à imposição de tarifas à importação de aço e alumínio. Já em termos de indicadores, está previsto a divulgação dos indicadores antecedentes, pelo Conference Board, e da sondagem industrial da Filadélfia, ambos que devem denotar certo arrefecimento, além do número semanal de pedidos de auxílio desemprego.

Conta Corrente tem excedente de 35,1 milhões de euros na zona do euro. Os dados divulgados essa manhã pelo Banco Central Europeu são referentes ao mês de fevereiro e denotam ligeiro arrefecimento frente a última leitura. No período em análise, o destaque ficou com o superávit na balança de bens e serviços, que compensou o déficit na conta capital e financeira. Contudo, a novidade não deve ter influência sobre o mercado financeiro da região, onde os investidores seguem atentos, hoje, as negociações em torno do Brexit.

Bolsas e commodities em recuperação. Na Ásia, os principais índices acionários fecharam no positivo reagindo ao abrandamento das tensões políticas relacionadas com os EUA e também em razão do novo estímulo monetário na China. Na Europa, as altas são mais tímidas e também refletem a agenda econômica fraca de hoje na região, que detalhamos mais acima. No mercado de commodities, destaque para a subida do minério de ferro, também influenciado pela economia chinesa, e para a alta nas cotações do petróleo em meio às expectativas diante da reunião de amanhã da OPEP.
 

 

aDepois de muita tempestade, notícias positivas para BRF (BRFS3). As ações da companhia tiveram forte alta no dia de ontem com a especulação sobre a entrada de Pedro Parente, atual presidente da Petrobras e do conselho de administração da B3 (B3SA3), na chapa alternativa, como presidente do conselho, sugerida por Abílio Diniz. Inclusive, a B3 já divulgou fato relevante informando que, caso Parente seja eleito, submeterá seu pedido de renúncia na assembleia de acionistas a ser realizada no próximo dia 26. E o que era somente expectativa se tornou fato mais no final do dia, com a BRF anunciando a indicação de Pedro Parente na chapa e a sua aceitação. Além disso, a BRF também recebeu a autorização do Ministério da Agricultura para voltar com sua produção nas plantas que exportam para a União Europeia. Dessa forma, a BRF está habilitada a retomar os embarques de produtos de aves produzidos em sua plataforma brasileira com destino para este mercado. Acreditamos que suas ações continuarão tendo bom desempenho no pregão de hoje. No entanto, a companhia ainda aguarda uma definição da União Europeia com relação à potencial limitação de suas exportações a aquele mercado. Além disso, mesmo tendo indicado nomes fortes para o conselho em sua chapa ainda será submetida à aprovação na reunião agendada para o dia 26/04. Ou seja, mesmo com as notícias positivas, os riscos ainda são grandes em relação as suas ações, tendo em vista que seus resultados ainda estão bem ruins e as incertezas quanto a barreiras sanitárias ainda são grandes.

Segundo notícias, Gol (GOLL4) estaria na mira da SEC. A autarquia americana estaria investigando se a ligação da companhia com políticos citados na Lava Jato causou prejuízos aos minoritários, de alguma maneira. Mesmo sem mais informações, papéis da aérea podem abrir pressionados.

DASA (DASA3) segue adquirindo laboratórios. O grupo de medicina diagnóstica adquiriu integralmente o Insitus Serviços Médicos e Laboratoriais Ltda., sediado na cidade de São Paulo. No entanto, a empresa não revelou os valores da transação, assim como nenhuma informação acerca dos dados financeiros e operacionais da adquirida. Dessa forma, entendemos que o provável efeito positivo da notícia para suas ações em bolsa deverá ser mitigado pela falta de esclarecimentos sobre essa operação.

Mais uma possível aquisição da Ser (SEER3). Segundo matéria do jornal Valor Econômico, a companhia estaria em negociações para comprar as operações da Ilumno, grupo norte-americano dono do centro universitário Unijorge e da universidade Veiga Almeida e outras cinco instituições de ensino que atuam na América Latina. A proposta poderia envolver o pagamento em dinheiro e troca de ações. Segundo a matéria, o grupo SEB também estaria nessa disputa e já teria apresentado uma oferta de R$ 2,2 bilhões (algo próximo à US$ 650 milhões). A reportagem tende a movimentar ainda mais os papéis da Ser que já havia anunciado, via fato relevante, no mês passado o início das tratativas para adquirir a Unigranrio, instituição de ensino superior que atua em todos os estados do sudeste do país e em Santa Catarina, com cursos de graduação, pós-graduação e extensões, tanto no segmento presencial quanto no ensino à distância.

Petrobras (PETR4) avalia parcerias na área de refino. A companhia anunciou que vai realizar hoje um seminário com a participação do Ministério de Minas e Energia, da ANP e de outras entidades interessadas, a fim de saber a visão desses agentes sobre a busca de parcerias na área de refino. Será apresentado um modelo preliminar, que ainda não conta com a aprovação formal de seus órgãos de governança. De toda forma, a novidade mostra que a companhia está empenhada em elaborar uma estratégia que permita a busca de sócios para área de refino, como consta em seu plano de negócios e gestão 2018-2022. Seus papéis devem responder de forma positiva à novidade.

Usiminas (USIM5) deve reportar números fortes amanhã. A siderúrgica  irá apresentar seu balanço do 1T18 amanhã, antes do pregão, e a expectativa é de aumento nas vendas no mercado interno e melhores margens, devido aos reajustes de preços anunciados ao longo de 2017 e no início desse ano. Nesse sentido, as estimativas do mercado apontam para um faturamento pouco superior a marca dos R$ 3,0 bilhões e um EBITDA de aproximadamente R$ 640 milhões no período, o que representa um avanço de 34% e 20% respectivamente, ante o mesmo período do ano anterior.
 

AGENDA DE DIVIDENDOS
 


 

AGENDA DE RESULTADOS
 

Bons negócios


« Voltar