Menu

Notícias

20/04/2018

Diário Matinal Coinvalores - 20 de abril de 2018

 

Bom dia,

Inflação acelera, mas segue em patamar reduzido. O IPCA-15 desse mês ficou em 0,21%, acima do avanço reportado no mês anterior, mas na menor taxa desde 2006 para um mês de abril. A aceleração vem dos gastos com saúde e cuidados pessoais, refletindo a alta dos preços dos planos de saúde e o reajuste anual dos medicamentos. Em linhas gerais, o cenário para inflação segue muito benigno.

a

Agenda vazia lá fora. Discurso de presidente regional do Fed sempre tem alguma repercussão nos mercados, mas, pelo rodízio no FOMC, o presidente do Fed de Chicago, que fala agora pela manhã, não tem direito a voto esse ano, apenas em 2019. Na Europa, a expectativa é de uma piora na confiança do consumidor, na esteira dos temores com as disputas comerciais que esquentaram nesse começo de ano. Por fim, teremos o indicador de perfuração de poços, que ganha importância após os tweets de Trump hoje pela manhã, que pressionaram o preço da commodity. O presidente americano criticou o movimento da OPEP de manter o preço do petróleo artificialmente elevado. “No good and will not be accepted!” foram as palavras de Trump.

Bolsas sem direção definida. As asiáticas fecharam pressionadas nessa sexta, com destaque para as Bolsas chinesas, com o mercado ainda calculando os impactos da suspensão das exportações americanas para a ZTE, a maior empresa de telecomunicações da China, que perdeu mais de 40% do valor de mercado em dois pregões no início da semana, após a suspensão. Na Europa, Bolsas em leve alta, com o mercado repercutindo as indicações do presidente do BoE, Mark Carney, de que o mercado está enganado se pensa que uma elevação dos juros britânicos são favas contadas para a reunião de maio. Carney destacou que alguns indicadores mistos da economia e os impactos do Brexit podem adiar a decisão de elevação.
 

 

aUsiminas (USIM5) reporta bom desempenho. Os números da siderúrgica neste trimestre foram impulsionados principalmente pelo maior volume de vendas e melhores preços de aço no mercado doméstico. O segmento de mineração também apresentou expressiva melhora frente ao 1T17, propiciando o crescimento do EBITDA e lucro no período. Outro destaque positivo foi a redução de sua alavancagem, com a relação dívida líquida / EBITDA caindo para 1,8x agora. Contudo, como tal desempenho já era esperado, a divulgação deve ter impacto apenas marginalmente positivo sobre suas ações no pregão de hoje.

Engie Brasil (EGIE3) apresenta bons números. O desempenho da companhia foi impulsionado principalmente pelo maior volume de vendas no período, sobretudo pelo reconhecimento da receita relativa as usinas Jaguara e Miranda. Assim, mesmo diante do menor preço médio de venda e da alta nos custos com compra de energia no mercado de curto prazo, o EBITDA da geradora avançou 18,2% frente ao 1T17, com a margem aumentando 0,9 pontos percentuais, para 56%. Todavia, apesar do sólido balanço, os números ficaram levemente aquém das expectativas, o que pode trazer influência marginalmente negativa para as ações EGIE3 no curto prazo.

Trisul (TRIS3) tem boa velocidade de vendas no trimestre. A incorporadora divulgou sua prévia operacional com apenas um lançamento, no segmento econômico, na cidade de Santos. Considerando o valor de mercado dos imóveis, a queda nos lançamentos foi de 72% na comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, ainda que em número de unidades tenha aumentado. A razão é o preço médio de R$ 177 mil das unidades lançadas agora no 1T18, contra R$ 759 mil no 1T17. Ainda assim, as vendas contratadas avançaram 23% nessa comparação. Destaque para a velocidade de vendas que atingiu 31%, contra 24% há um ano e 29% no 4T17. A velocidade de vendas é calculada dividindo o número de unidades vendidas no trimestre pelo número inicial de unidades em estoque mais os lançamentos. Claro que há uma distorção por conta dos preços das unidades, então não foi exatamente 31% do valor do estoque vendido, mas ainda assim, é uma velocidade muito acima da média de mercado. Nesse ritmo de vendas, a companhia conseguiria vender todo seu estoque antes do final do ano se optasse por não lançar mais nada, por exemplo, o que poucas incorporadoras conseguiriam. Continuamos recomendando os papéis da companhia, que estão com um valuation atrativo.

Notícia negativa para a BRF (BRFS3). Ontem, as ações da companhia vinham apresentando forte alta no início do dia com o anúncio de Pedro Parente como presidente do conselho na chapa alternativa. Mas suas ações acabaram perdendo força com o anuncio da União Europeia que acabou confirmando a decisão de barrar a importação de carne de frango de 20 plantas brasileiras. Segundo a BRF, agora o seu plano de produção deverá ser revisado, podendo considerar férias coletivas em algumas unidades, mas ainda não declarou qual será o impacto deste bloqueio em seu resultado, já que não foi informada oficialmente. Além disso, tentará, em conjunto com o governo brasileiro e as entidades de classe, reverter a decisão.

M. Dias Branco (MDIA3) cria comitê para averiguar irregularidades. A companhia anunciou na manhã de hoje que criou um comitê de investigação para averiguar os fatos que determinaram ordem judicial de busca e apreensão na sede da companhia no último dia 10 de abril, da operação Tira-Tema da Polícia Federal. Este comitê será composto por conselheiros independentes e advogados além de especialistas.

IPO do grupo NotreDame Intermédica (GNDI3) saiu um pouco acima do preço médio. Ao lançar o prospecto preliminar da oferta de ações, os controladores da companhia de saúde esperavam movimentar algo em torno de R$ 2,6 bilhões considerando o preço médio de R$ 16,00 por ação. Os papéis GNDI3 serão lançados em bolsa ao preço inicial de R$ 16,50/ação, movimentando cerca de R$ 2,7 bilhões com o IPO. Deste total, R$ 341,4 milhões irão para os acionistas vendedores na oferta, enquanto R$ 2,4 bilhões entrarão no caixa da companhia. As ações GNDI3 estreiam segunda-feira em bolsa no segmento do Novo Mercado.

Ser (SEER3) nega negociações com grupo norte-americano Ilumno. Os papéis da empresa ficaram bastante voláteis em bolsa diante das notícias recentes que davam conta de tratativas para adquirir as operações da Ilumno, dona do centro universitário Unijorge e da universidade Veiga Almeida e outras cinco instituições de ensino que atuam na América Latina. Embora a Ser neste momento não esteja negociando com o grupo norte-americano, não é novidade que a companhia está buscando ativos de ensino superior no mercado, como já anunciou, via fato relevante no mês passado, o início das tratativas para adquirir a Unigranrio, instituição de ensino superior que atua em todos os estados do sudeste do país e em Santa Catarina, com cursos de graduação, pós-graduação e extensões, tanto no segmento presencial quanto no ensino à distância. Entendemos que este esclarecimento pode reduzir um pouco a volatilidade nos papéis SEER3.
 

AGENDA DE DIVIDENDOS
 

 

Bons negócios


« Voltar