Menu

Notícias

17/05/2018

Diário Matinal Coinvalores - 17 de maio de 2018

 

Bom dia,

Copom surpreende e mantém Selic em 6,5%. A disparada recente da cotação do dólar falou mais alto que a inflação comportada e que o ritmo lento da recuperação econômica doméstica. O comitê de política monetária decidiu, por unanimidade, manter a taxa básica de juros. Mais do que isso, no comunicado ao mercado, sinalizou que “para as próximas reuniões, o comitê vê como adequada a manutenção da taxa de juros no patamar corrente”. O principal impacto no curto prazo deve ser mesmo visto na cotação da moeda americana por aqui.

IPC da Fipe segue em queda. O índice que mede a inflação ao consumidor no município de SP recuou 0,01% na segunda semana de maio, mantendo a trajetória negativa da semana passada, quando o índice ficou em -0,03%. A expectativa era de leve alta de 0,02%. A linha que mais contribuiu para a queda foi a de habitação, que recuou 0,24% entre 16/04 e 15/05, na comparação com o período imediatamente anterior, entre 16/03 e 15/04.

a

Atividade econômica dos EUA no radar. Após alguns dados que superaram as estimativas ontem, hoje o mercado deve ficar ainda mais atento à divulgação dos indicadores antecedentes de abril, que deve sinalizar qual o ritmo do crescimento econômico nos próximos meses. A agenda ainda conta com a sondagem industrial da Filadélfia e o número semanal de pedidos de auxílio desemprego, enquanto o discurso de representantes do Fed deve ficar em segundo plano, já que  Neel Kashkari e Robert Kaplan que não votam no comitê de política monetária esse ano.

Bolsas seguem pressionadas na Ásia. O dia foi de nova desvalorização na maior parte dos índices asiáticos, com o mercado mantendo cautela diante do início das negociações entre Pequim e Washington, previsto para ocorrer ainda hoje. Já na Europa, as Bolsas operam entre leves ganhos e a estabilidade nesta manhã, com os investidores atentos aos resultados corporativos e ignorando a alta nos treasuaries.
 

 

aProdução da Petrobras (PETR4) volta a crescer. A produção média de petróleo no Brasil atingiu 2,09 milhões de barris por dia em abril, avanço de 1,0% frente ao registrado em março, em razão do início da produção do FPSO P-74 e do termino de manutenções realizadas no FPSO Cidade de Angra dos Reis. Já a produção de gás natural subiu 1,2% no mesmo período, atingindo 79,0 milhões de m³/d. Ainda que modesto, o avanço na produção é positivo e interrompe o período de 6 meses consecutivos de retração. Contudo, essa divulgação deve ficar em segundo plano, pois é o anúncio/ ou não do acordo da cessão onerosa que deve movimentar suas ações ao longo do pregão de hoje.

Eternit (ETER3) marca assembleia para agrupar ações. A companhia comunicou ao mercado que irá realizar no dia 24/05 a AGE para deliberar sobre o grupamento de suas ações. O preço abaixo de R$ 1,00 por ação fica fora do regulamento da B3, portanto as ações da companhia estão desenquadradas. Quanto ao formato e ao processo com as sobras, isso será informado em fato relevante após a reunião.

Ambev (ABEV3) perde disputa no Carf. A companhia acabou perdendo parte da disputa que travava com o Carf, referente ao pagamento de imposto de renda e contribuição social sobre o ágio utilizado pela companhia entre os anos de 2011 e 2013, proveniente do processo de fusão entre a Ambev e a Interbrew. O valor (considerando essa parte) pode chegar à R$ 2,8 bilhões, no entanto, ainda é possível a Ambev recorrer.

AGENDA DE DIVIDENDOS

 


 

AGENDA DE RESULTADOS
 

 

Bons negócios


« Voltar