Menu

Notícias

18/12/2018

Diário Matinal Coinvalores - 18 de dezembro de 2018

Bom dia,

Inflação desacelera e propicia manutenção dos juros. O IGP-M apresentou queda de 1,15% na segunda semana do mês, com a redução no preço dos combustíveis sendo o principal responsável pela deflação registrada. No IPC do município de São Paulo, variação de 0,05% no período, além do preço da gasolina, a queda na tarifa de eletricidade também explica a desaceleração. É nesse contexto, de inflação baixa e convergindo para a meta em 2018 e 2019, e elevado nível de ociosidade na economia, que o comitê de política monetária do Banco Central sinalizou que a taxa de juros deve permanecer inalterada por um bom tempo, que pese o aumento do risco relacionado ao cenário externo.

Exterior aponta para uma recuperação (bem leve) nessa terça. As Bolsas asiáticas fecharam em forte queda hoje, respondendo à piora do humor que vimos ontem no ocidente com a perspectiva de uma desaceleração econômica mais forte nas economias desenvolvidas, estimulada por sinais mais negativos do mercado imobiliário americano, ontem, e pela falta de acordo em torno do funding do muro do Trump, que pode levar a um shutdown parcial do governo americano. Hoje, o índice de confiança alemão divulgado mais cedo veio abaixo do esperado, na mínima de dois anos, reforçando esse viés mais pessimista. Ainda assim, a maior parte das Bolsas europeias opera em leve alta, com exceção da Bolsa de Londres, onde o FTSE segue no vermelho com o adiamento da votação do Brexit no Parlamento para a terceira semana de janeiro, resultando em críticas do seu próprio partido. Nos EUA, os futuros também apontam para uma abertura com uma tímida recuperação na véspera da decisão do Fed, que deve elevar os juros e dar uma sinalização sobre as altas do próximo ano.


 


Empresa de galpões da MRV (MRVE3) passará a ser negociada no dia 21. A companhia recebeu a aprovação da Bolsa para a operação de cisão da Log, empresa de galpões que passará a ser uma companhia de capital aberto negociada na B3 no dia 21 de dezembro com o código LOGG3. Ao final do dia 20 de dezembro, os acionistas posicionados em MRV vão receber 0,07215075382 ação da Log para cara 1 ação da incorporador que possuir. Haverá um ajuste no preço dos papéis da MRV, que serão negociados, já no dia 21, a 83,71% do preço de fechamento do dia anterior.

Ânima (ANIM3) adquire a faculdade de Divinópolis. A companhia comprou uma faculdade em Divinópolis-MG, chamada Faced, por R$ 5,5 milhões. O montante será desembolsado em um prazo de cinco anos, com entrada de R$ 2,8 milhões a ser paga na data do fechamento da operação. Segundo a companhia, essa aquisição vem ao encontro de seu plano de crescimento. A Faced conta com aproximadamente 800 alunos matriculados em cinco cursos de graduação: Administração, Direito, Ciências Contábeis, Moda e Psicologia. Em 2018, a Faced apresentou receita líquida de R$ 6,4 milhões e tem potencial para gerar um incremento no EBITDA de aproximadamente R$ 1,8 milhão à companhia em 2019.

IMC (MEAL3) anuncia recompra de ações. Com o cancelamento da OPA lançada pela Sapore, a IMC acaba de anunciar um plano de recompra de ações, correspondendo a até 7,98% das ações em circulação no prazo máximo de um ano. O cancelamento da OPA lançada pela Sapore se deu pela colocação da poison pill, pelos acionistas da IMC, obrigando que sempre que um investidor alcançar 30% do capital da empresa deverá lançar uma oferta por toda a companhia. A intenção da Sapore era obter 42,5% das ações da IMC para depois realizar uma fusão, criando uma nova empresa da qual seria controladora.

Taesa (TAEE11) adquire ativos. Foi celebrado contrato de compra de 100% de dois ativos e de 51% de outros dois, ambos em fase operacional e com vencimento da concessão apenas em 2043. Ao todo, esses empreendimentos vão adicionar R$ 130,1 milhões à Receita Anual Permitida da companhia (correspondente a 5% da receita atual) e uma extensão de 1.227 km em sua rede. O negócio foi realizado por R$ 942,5 milhões, sujeito a ajuste pelo CDI até o fechamento efetivo da transação, que depende de algumas aprovações regulatórias como da ANEEL e do CADE. A Taesa ainda destaca que a localização geográfica dos ativos é estratégica, contribuindo com seu plano de crescimento e consolidação no setor, além de propiciar ganhos de sinergias operacionais. Suas ações devem responder de forma positiva à novidade.
 


JCP da Movida (MOVI3). A companhia vai pagar o valor (já líquido de IR) de R$ 0,1227 por ação aos acionistas posicionados ao final do dia 20 de dezembro, quinta-feira, ficando ex nessa sexta, mas o pagamento ocorrerá só em abril do próximo ano. Yield da operação é de 1,6%.

Guararapes (GUAR4) anuncia JCP. O valor é de R$ 2,245 por ação ON e R$ 2,469 por ação PN, já líquidos de IR. Farão jus aos juros os acionistas detentores de ações em 20 deste mês, e a partir do dia 21, as ações serão negociadas ex-JCP. A data do pagamento será deliberada na AGO de 2019. O yield desta operação é de 1,54% para a PN e 1,36% para a ON.

Arezzo (ARZZ3) distribuirá JCP. O valor líquido de R$ 0,1963 por ação e o pagamento dos JCP será efetuado em 15 de janeiro de 2019. As ações serão negociadas ex- direitos a partir de 26 de dezembro. O yield desta operação é de 0,38%. 
 

Bons negócios!

 


« Voltar