Menu

Notícias

21/12/2018

Diário Matinal Coinvalores - 21 de dezembro de 2018

Bom dia,

Inflação recua e confiança melhora. O IPCA-15 apresentou deflação de 0,16% em dezembro, com a redução no preço da gasolina e da energia elétrica mais uma vez em destaque. A variação dos preços dos alimentos compensou parcialmente esse efeito, pressionados pela elevação no preço de itens agrícolas, como batata, tomate e cebola. O índice de custo da construção, por sua vez, desacelerou para 0,13% em dezembro, ante os 0,26% da leitura anterior. Já a confiança do consumidor avançou em dezembro, para o maior nível desde abril de 2014, sobretudo em razão da melhora na percepção quanto a situação atual. No acumulado do ano, o índice registra ganhos de 5,7 pontos sobre o ano anterior. Ademais, ao longo do dia ainda serão divulgados números das contas externas e da arrecadação fiscal de novembro, que não contam com perspectivas muito animadoras.

Agenda externa. Mais cedo, a GfK divulgou sua estimativa para a confiança do consumidor alemão para o início do ano com estabilidade na comparação com a última medição, melhor que o esperado, que era uma ligeira piora. Mais tarde, a Comissão Europeia divulga o mesmo dado, mas para toda a zona do euro. Nos EUA, a revisão do PIB do 3T18 não deve mostrar alterações em relação à última leitura e o mercado fica de olho na divulgação do deflator do PCE, no começo da tarde, índice de inflação que o Fed usa para balizar a sua meta. O indicador ganha importância na semana em que um FOMC menos dovish que o esperado resultou em dois dias de sell off nas Bolsas ao redor do mundo.

CPI japonês abaixo da estimativa. A inflação ao consumidor divulgada nas primeiras horas desta sexta-feira avançou 0,8% em novembro na comparação com o mesmo período de 2017, abaixo da estimativa de alta de 1,4%.
    
Bolsas ainda pressionadas. As Bolsas asiáticas fecharam a semana com um pregão no vermelho, com Hong Kong sendo a única exceção por lá. Além do noticiário mais negativo vindo dos EUA, no Japão, a manutenção dos juros pressiona os papéis dos bancos locais. Na Europa, nem a confiança do consumidor na Alemanha vindo acima do esperado anima os investidores, levando as Bolsas do continente para o negativo. A ameaça de Trump de ir em frente com o shutdown parcial do governo se um orçamento que garanta fundos para a construção do muro na fronteira com o México não for aprovado no Senado segue pressionando os mercados acionários. Um orçamento com mais de US$ 5 bilhões para a construção do muro foi aprovado na Câmara, mas o texto aprovado no Senado não prevê esses fundos e dificilmente o texto da Câmara será aprovado na outra casa. Esse impasse deixa os futuros americanos próximos da estabilidade, aparentemente sem força para se recuperar das quedas dos últimos dias.
   

 


Magazine Luiza (MGLU3) distribuirá JCP. A companhia anunciou a distribuição de JCP no valor líquido de R$ 0,5038 por ação. As ações ficarão ex-JCP no dia 28 deste mês e o pagamento será efetuado até trinta dias após a realização da AGO de 2019. O yield desta operação é de 0,28%.

JCP do Banco Inter (BIDI4). O banco vai pagar R$ 0,0769 por ação aos acionistas posicionados ao final do pregão do dia 28 de dezembro. Papéis voltam do feriado de ano novo ex-JCP e o pagamento será no dia 15 de janeiro. Yield da operação, no entanto, é de apenas 0,19%, considerando o fechamento de ontem.

Banrisul (BRSR6) altera data de pagamento de JCP. O valor líquido por ação é o mesmo, de R$ 0,0934, e a data ex também, dia 27/12, mas o pagamento previsto para 13 de fevereiro do próximo ano foi antecipado para 15 de janeiro.


Bons negócios e UM FELIZ NATAL!!

 


« Voltar