Menu

Notícias

04/01/2019

Diário Matinal Coinvalores - 4 de janeiro de 2019

Bom dia,

IPC- Fipe fica dentro do previsto. A inflação na cidade de São Paulo subiu 0,09% em dezembro, perdendo força ante a alta de 0,15% registrada em novembro, mas acabou apresentando leve aceleração em relação à terceira quadrissemana de dezembro, quando o aumento havia sido de 0,06%.  A inflação no ano de 2018 ficou em 3,02%.

Bolsonaro comenta proposta sobre a reforma da previdência. Em sua primeira entrevista depois da posse, Bolsonaro, comentou que pretende aproveitar parte do texto da reforma da previdência que já está pronta para votação na Câmara, mas acabou sinalizando alteração na idade mínima de contribuição passando para 62 anos para os homens e 57 anos para as mulheres com aumento gradativo, o que suavizaria a regra proposta.

PMI composto chinês vem melhor que o esperado. Depois da forte desaceleração no dado industrial, o PMI composto da China avançou 52,2 em dezembro, contra os 51,9 de novembro, na máxima em cinco meses, segundo dados da Markit. Além de ter avançado na comparação mensal veio acima das previsões de mercado que apontavam para uma queda, chegando a 50,0.
   
Economia europeia desacelera. Os PMIs divulgados nesta manhã, do setor de serviços e composto, decepcionaram ao se aproximar dos 50 pontos, que separa crescimento de contração da atividade, e ficar aquém das prévias. Na zona do euro, o PMI composto apresentou o menor crescimento dos últimos quatro anos, na Alemanha, o resultado foi o menor em 27 meses. No Reino Unido, não foi diferente, com a demanda ainda tímida e preocupações relacionadas ao Brexit. O único indicador da região que não mostrou deterioração nesta sexta foi à taxa de desemprego na Alemanha, que se manteve em 3,3% em novembro.

Dia de ganhos lá fora. A notícia de que autoridades chinesas e americanas voltarão à mesa de negociações no início da próxima semana anima os investidores mundo afora. Na Ásia, as Bolsas chinesas fecharam no azul, mas o pregão foi negativo em Tóquio, com a Bolsa local voltando do feriado de ano novo e tendo um movimento de correção, mesmo com o otimismo de hoje nos mercados. Na Europa, o pregão também é positivo, especialmente para as ações ligadas às commodities. Nos EUA, os futuros de NY também apontam para uma alta na abertura, mas o mercado ficará de olho nos números do payroll e nas falas do presidente do Fed em um evento no começo da tarde (no nosso horário), onde estará debatendo com dois ex-presidentes da instituição.
 

 


CADE aprova aquisição da Unidas (LCAM3). O Conselho deu o seu ok para a transação envolvendo a NTC, que passará a se chamar Unidas Agro, com a entrada da companhia nesse segmento. A aquisição foi feita por R$ 50 milhões em dinheiro e mais 1,379 milhões de ações da Unidas, que considerando o fechamento de ontem, equivalem a R$ 52,9 milhões. O EBITDA da NTC nos doze meses anteriores a junho do ano passado foi de R$ 52 milhões. Boa aquisição, mas não muito representativa, já que o faturamento da NTC representa cerca de 4,07% da receita líquida da Unidas.

Paridade de preços segue na Petrobras (PETR4). Em seu primeiro discurso, ao final do dia ontem, o novo presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, se posicionou contra os subsídios e garantiu que os preços dos combustíveis "obedecerão à paridade internacional", além de declarar que o foco da companhia deve ser em exploração em águas profundas. Nas demais áreas, a companhia deve continuar buscando parcerias estratégicas e/ ou a alienação de ativos. Castello Branco ainda listou cinco pontos prioritários na sua gestão, com destaque para venda de ativos e redução no nível de endividamento. Outra notícia no radar da estatal hoje é a de um vazamento de óleo em uma plataforma, já desativada, afretada pela Petrobras à Modec do Brasil. Ainda não há detalhes sobre o acidente em si, tampouco sobre seus potenciais impactos ambientais e financeiros.

Acionistas da Fibria (FIBR3) recebem ações da Suzano (SUZB3). A relação de troca é de 0,4613 ação da Suzano para cada ação detida da Fibria. A parcela em dinheiro foi atualizada para R$ 50,12, que equivale aos R$ 52,50 da proposta original, menos os dividendos de R$ 5,03, mais a correção pelo CDI de R$ 2,65, e será paga no dia 14 de janeiro.


Bons negócios!

 


« Voltar