Menu

Notícias

17/01/2019

Diário Matinal Coinvalores - 17 de janeiro de 2019

Bom dia,

Economia brasileira vem crescendo. O destaque fica para o IBC-Br, considerado uma prévia do PIB, que avançou 0,29% em novembro ante outubro, ficando acima das previsões de mercado. Na comparação com novembro do ano passado, o índice teve alta de 1,86% e no acumulado em 12 meses registrou crescimento de 1,44%.  O IPC-Fipe também acelerou, apresentando alta de 0,24% na 2ª quadrissemana de janeiro, o resultado anterior foi de 0,06%. O número acima do esperado reflete a alta nos preços de alimentos e no setor educacional.

Índice de preços ao consumidor fica dentro do esperado. O CPI da zona do euro ficou em 1,6% em dezembro, confirmando a prévia divulgada anteriormente, resultado bem abaixo da meta do BCE, que é de uma taxa próxima, mas inferior a 2%. O núcleo do índice subiu 0,5% em dezembro ante o mês anterior, registrando acréscimo de 1% na comparação anual.

Dia mais pressionado lá fora. A principal novidade hoje é a vitória da primeira-ministra britânica, que conseguiu se manter no cargo por uma margem apertada, ontem. Ainda assim, a indefinição em torno do Brexit ajuda a pressionar os mercados nessa quinta sem outras grandes notícias. Entre as opções, um Brexit sem acordo ainda assusta o mercado, que espera por uma prorrogação no prazo para um acordo, já que um novo acordo a essa altura do campeonato é visto como muito difícil. Não temos grandes novidades sobre guerra comercial, crescimento na China ou sobre a paralisação do governo americano, nessa manhã. Vale destacar que o começo da temporada de balanços trouxe números positivos dos bancos americanos, o que pode ajudar a animar um pouco os investidores por lá nessa quinta, apesar dos futuros de NY apontarem para uma abertura também em leve queda. Entre os indicadores americanos da agenda, a divulgação de novas construções residenciais não deve acontecer, mas os outros seguem programados para hoje.   

 


Petrobras (PETR4) retoma processo de desinvestimento. O STJ derrubou a liminar do Tribunal Regional Federal que impedia a continuidade da venda da Transportadora Associada de Gás (TAG). A liminar tinha como base o pedido do sindicato dos petroleiros de Alagoas e Sergipe, que alega que a estatal não atendeu plenamente a lei das licitações. Já a defesa frisou que todo "o procedimento adotado pela estatal para abertura do processo licitatório teve sua legalidade atestada pelo TCU", tanto que atraiu "87 empresas interessadas em participar". Contudo, cabe destacar a importância da venda da TAG que, segundo estimativas do mercado, sozinha deve corresponder por um terço dos R$ 21 bilhões que a Petrobras espera arrecadar com o Programa de Parceiras e Desinvestimentos. Além disso, hoje a ANP liberou uma das três unidades da Refinaria de Paulínia que foi atingida por um acidente em agosto, tendo em vista que "a Petrobras atendeu a todas as exigências feitas pelo órgão". Com isso, a refinaria volta a ter sua capacidade plena de processamento. As ações PETR4 devem responder de forma positiva às novidades.

Prévia da Even (EVEN3).
A incorporadora apresentou forte alta nos lançamentos no último trimestre do ano passado, com VGV quase 5x maior que no 3T18 e 54% acima do 4T17, considerando apenas a participação da Even nos empreendimentos. As vendas da companhia, no entanto, tiveram alta mais comedida, parte pela velocidade de vendas menor dos lançamentos, parte pelas vendas de estoque abaixo dos dois trimestres imediatamente anteriores. O volume de entregas da Even se reduziu bastante em 2018, ainda assim os distratos seguiram em um patamar historicamente elevado. Consideramos os números um pouco mais tímidos que o esperado, apesar do crescimento tanto dos lançamentos quanto das vendas, pela velocidade de vendas menor e distratos ainda elevados. A companhia ainda comentou que terminou 2018 com um landbank que a possibilita lançar R$ 6,7 bilhões. No ano passado, foi lançado R$ 1,25 bilhão (considerando também a participação de parceiros) de VGV, mesmo considerando uma retomada mais forte dos lançamentos, o atual landbank garante alguns anos de atividade para a Even.

Sinqia (SNSL3) anuncia aquisição. A companhia comprou a Atena, fornecedora de softwares para o segmento de entidades de previdência complementar, por R$ 9 milhões. O valor pode chegar a R$ 13 milhões, dependendo do atingimento de algumas metas pela empresa. A Atena tem receita bruta de cerca de R$ 8,8 milhões ao ano. Notícia positiva, mas a aquisição é relativamente pequena para a companhia.
 

Bons negócios!

 


« Voltar